Filme: RESSURREIÇÃO...


Ressurreição é um filme épico de 2016, dirigido Kevin Reynolds.

O enredo conta a história de Clavius (Joseph Fiennes), tribuno romano que, após a crucificação de Jesus, é encarregado por Pôncio Pilatos de encontrar o corpo supostamente roubado do nazareno (Cliff Curtis), para evitar que o povo o consagre como "messias".

Às vésperas de um levante em Jerusalém, surgem rumores de que o Messias judeu ressuscitou. Um centurião romano agnóstico e cético (Joseph Fiennes) é enviado por Pôncio Pilatos para investigar a ressurreição e localizar o corpo desaparecido do já falecido e crucificado Jesus de Nazaré, a fim de subjugar a revolta eminente. Conforme ele apura os fatos e ouve depoimentos, suas dúvidas sobre o evento milagroso começam a sumir.

A história de Jesus Cristo já foi retratada inúmeras vezes nas telonas. Jesus de Nazaré, Jesus Cristo Superstar, A Última Tentação de Cristo, A Paixão de Cristo... Agora, é a vez de Ressurreição chegar aos cinemas tentando contar a história de um ângulo um pouco diferente.

A trama se passa no ano 33 DC e foca sua atenção na ressurreição de Cristo. Após crucificá-lo, o exército romano deseja afastar qualquer ideia de que Jesus seria alguém especial ou objeto de fé. Tentando afastar os boatos de que ele iria ressuscitar em três dias, os romanos decidem vigiar seu corpo, para provar que não tem nada de especial. No entanto, ele acaba desaparecendo. Diante disso, o oficial Clavius (Joseph Fiennes) é designado a encontrar seu corpo e...

O filme possui problemas consideráveis, mas também tem seus méritos. Não se trata de um caça-níquel qualquer atrás de dinheiro de fiéis. Tem uma história e se propõe a desenvolvê-la cinematograficamente.

O neozelandês Cliff Curtis interpreta Cristo. Não é uma atuação brilhante, mas é interessante a opção por um ator com o tipo diferente do que geralmente o personagem é retratado, mas próximo do que seria na verdade.

Risen (no original) é um filme com bons cenários e figurinos. Ao mesmo tempo, é tudo muito simples. Não se trata de um mega-orçamento. Com isso, algumas sequências acabam sendo bem pobres se comparadas com grandes produções hollywoodianas. Já na primeira sequência, vemos uma cena de batalha. Com um exército enfrentando o outro: uma dúzia de pessoas para cada lado.


De qualquer forma, é um filme que não ofende, mas também não tenta catequisar ninguém. Conta uma história, onde tudo é muito simples e digno.

Para ver o filme CLIQUE AQUI

No final, se quiser, deixe seu parecer...

0 comentários:

Postar um comentário