Dia Internacional da Mulher...


No dia Internacional da mulher quero lembrar das religiosas. É um grupo numeroso, e pouco visível para a maioria da nossa sociedade. Mulheres generosas, capacitadas e abnegadas. Algumas profissionais; outras acadêmicas e formadas nas melhores universidades.

Uma revista expôs, na sua edição de março, a forma servil como algumas freiras são tratadas pelos nossos cardeais e bispos, para os quais trabalham a troco de quase nada. O artigo intitulado “O trabalho (quase) gratuito das freiras” destaca a falta de profissionalismo trabalhista na igreja, em relação a esta categoria de pessoas. Algumas destas religiosas servem nas casas de bispos e cardeais, e raramente são convidadas a sentar-se nas mesas desses purpurados.

A falta de salário digno para o trabalho desempenhado não é novidade na Igreja CatólicaHá irmãs com doutorados brilhantes nos seus `curriculum vitae´, mas isso não é importante nem interessa, pois algumas até abandonaram profissões rentáveis para viverem em comunidade e de outra maneira.


No dia Internacional da Mulher eu bato palmas para as religiosas que trabalham, não por dinheiro, mas por amor.




0 comentários:

Postar um comentário