O estilo do Papa Francisco começa a questionar atos legais...


A reforma da Cúria Romana, desejada pelos cardeais no momento da eleição do Papa Francisco, está pronta para ser publicada. Alguns dizem que será anunciada no dia 29/JUN próximo.

A nova Constituição, que substituirá a Pastor bonus do Papa João Paulo II, prevê criar um Super-dicastério da Caridade, englobando a Esmolaria Apostólica e o Óbolo de São Pedro (dinheiro coletado em todo o mundo no dia 29/JUN, para a caridade do Papa).

Rumores dizem que o “Padre Conrado”, isto é o Cardeal que percorre à noite as ruas de Roma para socorrer os necessitados, estará à frente desse novo dicastério. 

Desde quando o barrete cardinalício foi imposto a Conrado Krajewski, em 2018 (o cargo de esmoleiro existe desde o ano 1200), os moradores em situação de rua começaram a ser valorizados em Roma.

A reforma da Curia está praticamente pronta, e parece terá o título de Praedicate Evangelium.

Enquanto isso, o Secretário de Estado, Cardeal Parolin, e o prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, Cardeal Turkson, saíram em defesa do Padre Conrado” por desobedecer uma norma da Companhia de Energia Elétrica, que tinha interditado um prédio com mais de 450 pessoas com crianças e idosos.

O gesto do cardeal foi ilegal? O gesto não queria ser ilegal, mas sim de misericórdia para aqueles que faziam uma semana estavam sem eletricidade, sem luz e sem água...

Salvini, ministro do Interior italiano, preocupado mais pela ganância do que pelo bem-estar dos assistidos, subiu nos tamancos e prometeu passar a conta ao Vaticano.

Lembro do que uma pobre mulher que precisava de um respirador para viver, teria dito: “Sem eletricidade, eu estava começando a ficar roxa e morreria sem ele”. Isto é, sem o gesto do “Padre Conrado”.

Preparem-se as nossas Cúrias diocesanas para implementar esse estilo nas suas Dioceses. 

E você de que lado fica?


0 comentários:

Postar um comentário