Luís Gonzaga nasceu em Mântua, Itália e, como primogênito do Marques de Ferrante de Castiglione, frequentou os ambientes mais sofisticados da alta nobreza: Corte dos Médici/Florença, dos Mântua, dos Hasburgo/Madri, e estava predestinado a ser rico e poderoso como todos os de sua família. E assim caminhava desde cedo, pois aos 13 anos de idade Luís já era pajem do rei da Espanha. Ele foi predeterminado pela família para seguir os passos de seus antepassados...

Mas Deus é imprevisível, e para surpresa de todos o jovem Luís optou pela vida religiosa na Companhia de Jesus (Jesuítas), derrubando por terra os interesses depositados nele pelo pai. Este ficou furioso e colocou-o em situações embaraçosas, esperando vê-lo sucumbir nos seus desejos vocacionais. O jovem Luís não desistiu da sua vocação, renunciou à herança da família (nobreza, poder, dinheiro...) e entrou no noviciado dos jesuítas em Roma. Tinha 17 anos de idade!

Pouco tempo depois, aos 23 anos de idade, foi contagiado pela peste que atingiu à população pobre de Roma. E assim, morreu solidário com os doentes pobres. 

Luís Gonzaga foi beatificado em 1604 e a sua mãe, ainda viva, participou emocionada dessa cerimônia. Foi canonizado em 1726 e, desde então, é o padroeiro da juventude.

Hoje, a nossa juventude tem outros ídolos que brincam e acabam com ela. Astros da música, jogadores de futebol, artistas de novelas... Num piscar de olhos, todos são eliminados constantemente, e substituídos.  

São Luís Gonzaga, rogai a Deus pela nossa juventude.

Uma pergunta: A que você renuncia para seguir Jesus?

Para ver e ouvir o hino de São Luís Gonzaga CLIQUE AQUI



No dia 21/JUN o Papa viaja a Genevra para um encontro ecumênico no Conselho Mundial das Igrejas. Eis o programa: 

08:30 Saída do aeroporto de Roma/Fiumicino

10:10 Chegada a Genebra. 

10:30 Encontro com o presidente da Suíça no aeroporto

11:15 Oração ecumênica no Centro Ecumênico WCC. Homilia do Papa.

12:45 Almoço com as lideranças WCC no Ecumenical Institute di Bossey

15:45 Encontro ecumênico no Centro Ecumênico WCC. Discurso do Papa.


17:30 SANTA MESSA no Palexpo. 

19:15 Encontro com os bispos da Suíça

19:45 Despedida no aeroporto de Genebra.

20:00 Saída para Roma.

21:40 Chegada a Roma. 

No logo acima,  a Igreja é simbolizada por uma barca sobre o mar do mundo, com um mastro em forma de cruz. A palavra oikoumene, “ecumênico”, significa “toda terra habitada”. O lema: “Caminhar, orar e trabalhar juntos”.



O próximo Sínodo dos Bispos, de 3 a 28/OUT, sobre o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, já tem seu documento de trabalho.

Lembro que os jovens no mundo, entre 16 e 29 anos, são mais de Um bilhão e 800 mil pessoas, isto é, ¼ da humanidade. Ele foi elaborado após uma complexa convergência da escuta de diversos componentes da Igreja, e também de vozes que não pertencem a ela.

Estruturado em três partesreconhecer, interpretar e escolher– o Documento busca oferecer as chaves de leitura da realidade juvenil.

O que querem os jovens de hoje? Sobretudo, o que buscam na Igreja? Desejam uma “Igreja autêntica”, que brilhe por “exemplaridade, competência, corresponsabilidade e solidez cultural”, uma Igreja que compartilhe “sua situação de vida à luz do Evangelho ao invés de fazer pregações”, uma Igreja que seja “transparente, acolhedora, honesta, atraente, comunicativa, acessível, alegre e interativa”. Enfim: uma Igreja “menos institucional e mais relacional, capaz de acolher sem julgar previamente, amiga e próxima, acolhedora e misericordiosa”.

Os jovens pedem à Igreja que “reforce sua política de tolerância zero”, nos casos de pedofilia.

Tudo isso se articula em sete palavras que documento assim classificou:
.
1. Escuta:os jovens querem ser ouvidos com empatia;
2. Acompanhamento: espiritual, psicológico, formativo, familiar e vocacional.
3. Conversão: seja de tipo religioso, sistêmico, ecológico e cultural.
4. Discernimento: uma das palavras mais usadas no Documento, seja no sentido de uma “Igreja em saída” para responder às exigências dos jovens, seja como dinâmica espiritual.
5. Desafios: discriminações religiosas, racismo, precariedade no trabalho, pobreza, dependência de drogas e álcool, bullying, exploração sexual, corrupção, tráfico de pessoas, educação e solidão.
6. Vocação: repensar a pastoral juvenil.
7. Santidade: o Documento concluiu com uma reflexão sobre a santidade, “porque a juventude é um tempo para a santidade”. Que a vida dos santos inspire os jovens de hoje a “cultivar a esperança” para que “com coragem, tomem as rédeas de sua vida, almejem as coisas mais belas e mais profundas e mantenham sempre um coração livre”.

Agora, vamos rezar e esperar!



Meu Deus eu te busco e não te encontro! Sempre foi assim, desde que a consciência brotou em mim. Desde então, meus olhos te buscaram ansiosamente, mas sempre se distraíram com o que viram... E meus ouvidos? Você sabe que são super-desafinados! Teu silêncio teimosamente se mistura com todos os barulhos existentes, como numa nova Encarnação. Onde estás, como te encontrar?

Minhas mãos se perdem nas apalpadelas que realizam e no pequeno serviço ao irmão. Desse modo meu coração fica inquieto e cansado. E não aguenta, Senhor! Até quando a tua angústia me habitará?

Ao amanhecer eu te procuro, Senhor, mas não te acho; e à tarde não apareces! Quanta decepção num só dia! 

E quando a noite cai e cansado me despojo das minhas vestes e de tantas máscaras usadas, então misteriosamente Tu apareces e me encontras completamente nu. Nada a dizer, nada a fazer, apenas me maravilhar! E o tempo passa, sem passar!

Teu olhar profundo sondou meu corpo e minha alma e ambos reagiram excitados, contemplados por tanta ternura! Tu ainda me amas?

Eu não te entendo, Senhor; me confundes! Onde deverias estar, não te vejo; e se desanimado relaxo, tu gratuitamente apareces... e acendes de novo o meu desejo por Ti!

Eu já percebi que só estremeço diante de Ti!

    
Conselhos amigos para quem espera o primeiro filho:

Esposa se preparando, desde já, para a maternidade: vista um penhoar e prenda um saco de feijão na barriga.  Fique assim por nove meses...

Marido preparando-se, desde já, economicamente: vá à farmácia do bairro, esvazie a carteira sobre o balcão e diga ao atendente para pegar o que quiser...
Preparando-se ambos, desde já, para dormir: Comecem a andar pela sala, das 17h às 20h da noite, carregando um saco molhado, pesando de três a cinco quilos... Às 20h horas, largue o saco, ajuste o despertador para a meia-noite e vão para a cama.  Levantem-se à meia-noite e caminhem pela sala com o saco até 1h da madrugada...  Acertem o despertador para as 3h. Não conseguindo dormir de novo, levantem-se às 2h e preparem uma bebida...  Vão para a cama às 2h45 e levantem-se quando o despertador tocar às 3 horas.  Cantem no escuro, até as 4h... Programem o despertador para as 5h. Levantem-se.  Preparem o café da manhã. Façam isso durante cinco anos e conservem sempre o bom humor...
Preparando-se, desde já, para dar a papinha ao seu bebê. Tire o miolo de um melão e faça um buraco na lateral, mais ou menos do tamanho de uma bola de golfe. Com um barbante, pendure-o no teto e balance-o de um lado para o outro...  Em seguida, apanhe uma tigela de papinha e tente pôr colheradas da mistura no buraco feito no melão, fingindo que é um aviãozinho.  Continue até conseguir introduzir metade da papinha.  Despeje o resto em seu colo...  Agora você já sabe como é dar comida a um bebê de 1 ano de idade. 

Como será a sua casa quando as crianças começarem a andar? Espalhe manteiga no sofá e geléia em todas as cortinas.  Esconda um pedaço de peixe frito atrás do aparelho de som e deixe-o lá, por alguns meses...

Como será o seu carro quando a criança tiver mais de três anos? Compre um sorvete de chocolate, coloque-o no porta-luvas do carro e deixe-o ali.  Enfie uma moeda de 50 centavos no toca-fitas.  Amasse um pacote de biscoitos de chocolate no banco traseiro. Risque ambos os lados do carro com uma chave.  Pronto, seu carro está perfeito para a receber mais um filho...

Prepare-se desde já para vestir crianças pequenas, pois não é tão fácil quanto parece.  Primeiro, compre um polvo vivo e uma sacola. Tente colocar o polvo dentro da sacola de modo que nenhum dos tentáculos escape...  Tempo para esta tarefa: a manhã inteira.

Prepare-se para sair de casa. Apronte-se para sair, mas espere do lado de fora do banheiro durante meia hora...  Saia pela porta da frente, mas volte logo para dentro.  Saia... e entre de novo.  Torne a sair e vá até o portão... Retorne logo para casa! Volte ao portão...  Ande pela rua bem devagar, por cinco minutos e detenha-se para examinar cada ponta de cigarro, pedaço de chiclete, lenço de papel sujo e inseto morto que houver no caminho... Depois, retorne. Grite que não agüenta mais, até os vizinhos saírem de casa e olharem espantados para você. Pronto, agora já pode levar sua criancinha a passear...

Prepare-se para ir ao supermercado. Vá ao supermercado, levando consigo uma cabra adulta, o mais parecido com uma criança em idade pré-escolar... Se pretende ter mais de um filho, leve duas cabras pela rua. Faça as compras da semana, sem perder os animais de vista. Pague tudo o que eles comerem ou destruírem pelo caminho...

Aprenda desde já a conversar com seu filho. Aprenda desde já os nomes dos Teletubbies. Quando se pegar cantarolando a música do programa no banheiro, está preparado para ter filhos.

Por fim, procure um casal que tenha filhos e censure seus métodos de disciplina, a falta de paciência e o fato de terem deixado as crianças se tornarem incontroláveis... Sugira de que modo poderiam melhorar os hábitos de dormir e o comportamento em geral...

Brincadeiras à parte, parabéns ao casal Lucas e Anali/DF que esperam encantados o seu primeiro filhote!

Para ver e ouvir a belíssima homilia do Pe. Bruno Franguelli, jesuíta,  na missa do dia 9/JUN, solenidade de S. José de Anchieta, CLIQUE AQUI.
“O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra; ... e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece...” (Mc 4, 26-27)

Todas as religiões se servem de relatos para revelar a verdade e fazer chegar até nós a sabedoria dos antepassados. A revelação mais antiga e universal é que a Terrae todas as suas criaturas são sagradas.

Como cristãos, seguimos Jesus Cristo, que a Terra, nossa casa comum, acolheu com amor. Os Evangelhos destacam a boa relação que Ele teve com a Terra: Caminhos andados, campos semeados, vento semelhante ao Espírito, árvores das parábolas do Reino, vinhas, figueiras... Jesus experimentou também a dureza da Terra,o calor do deserto, a tempestade acalmada, frio, chuva, brigas, doença, morte... 

ritmo da natureza inspirou Jesus para anunciar que o Reinotambém tem seu ritmo. Não somos nós que levamos o Reino, mas é nossa missão ajudar a desvelá-lo (tirar o véu) na vida humana. O Reino alcança a todos; ninguém fica excluído. 

Precisamos cultivar processos. O Reino tem seu tempo, o tempo de Deus, que não coincide necessariamente com o nosso. Saber distender-se nos processos nem nos paralisar diante de um ambiente de desencanto, é uma grande sabedoria. Atravessamos momentos favoráveis e luminosos como o dia, e momentos desfavoráveis como a noite. “O agricultor vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo...”

A melhor imagem que Jesus encontrou para expressar a “presença misteriosa” do Reino foi a da semente.Na semente acha-se presente uma grande força de crescimento. O importante é darfrutos no seu devido tempo.

O Reino é verde”.As parábolas do Reino nos animam a “descer” junto à natureza. As parábolas nos ajudam a desenvolver uma relação de proximidade com a terra. A relação com a terra, pegá-la entre as mãos, espremê-la, semear e plantar, regar e ver crescer, é um exercício espiritual; conhecer a terra e o entorno é conhecer o que torna possível a vida.A vida depende de uma fina camada de 15 centímetros. Dizem os cientistas que em um punhado de terra há mais biodiversidade que toda aquela que até o momento conhecemos no resto do Universo. E este milagre não nos diz nada?

O “novo” sempre nasce pequeno, frágil, oculto e a partir de baixo.As sementes, muito pequenas, colocadas na terra, desaparecem. No entanto, contém uma vitalidade oculta que as leva a germinar. O fundamental não é seu tamanho, senão a enorme força transformadora que contém e sua grande fecundidade.

Submergidas na terra, as sementesvivem um lento processo até poderem liberar uma vida nova e abundante. Para gerar vida, entregam sua vida.Não esqueçamos que somos terrae em terra nos converteremos.

Somos terra de Deus,alimentada pela seiva de seu Espírito. Sobre esta terra, Deus plantou a semente de seu Reino para que germine, cresça e dê frutos. O que essa semente carrega em seu interior é um novo modo de viver e conviver, em sintonia com todas as expressões de vida.
Como as sementesna terra, somos movidos a atuar a partir de dentro, transformando a realidade e mobilizando os meios mais simples, mas com criatividade e audácia. O movimento de enterrar profundamente as raízes possibilita alcançar a seiva, o pulsar da vida e o equilíbrio.

Somos terra que respira em comunhão com a comunidade das criaturas. Sentir-se Terraé perceber-se dentro de uma complexa comunidade de seres vivos: animais, pássaros e peixes, nossos companheiros dentro da unidade sagrada da vida. A Terra produz, para todos, condições de subsistência, e de crescimento no solo, no subsolo e no ar. Terra, nossa “casa comum”!

É para Deus que tudo converge. É Ele que tudo sustenta. É Ele que, no Amor, tudo atrai.