12 – Reunião: Imagens de Deus; imagens de si

Oração Inicial: Jesus, Tu me fazes amar a vida que não termina e me abres o caminho para a ousadia. Tu vais sempre diante de mim, no caminho que percorro para a santidade.
Neste caminho é feliz quem ama para além da morte; minha última resposta será a entrega de minha vida. O não NÃO que me habita, Tu o transformas, dia a dia, num SIM, pois não queres apenas partes de mim, mas, todo o meu ser.
És Tu Jesus que, dia e noite, rezas em mim, sem que eu saiba como. Meu balbuciar é oração e quando Te chamo pelo teu nome, se concretiza a nossa comunhão.
És Tu Jesus quem, a cada manhã, colocas o anel do Filho Pródigo no meu dedo. Tu me procuras, sem cessar. Tu sabes que hesito e que facilmente me enrolo comigo mesmo.
Por que olhar para trás, se já coloquei minha mão no arado?
Senhor, Tu me amaste e eu Te amei também!
Graça a pedir: Profunda fé e confiança no cuidado pessoal de Deus por mim.

Partilha: Como senti o cuidado especial de Deus por mim nestes últimos 15 dias?

Tema da Reunião: Minha Experiência de Deus
Cristianismo é experiencial. O Cristão maduro vive no mundo sem ser do mundo. Toda espiritualidade cristã começa com a experiência de Deus em Jesus Cristo. Até que haja um encontro real com Jesus Cristo, até que ele não seja uma pessoa viva para mim e eu para ele, permanecerei no nível de uma religião superficial, da lei e do rito. Crenças, códigos e ritos são mais freqüentes do que imaginamos e pouco tem a ver com a experiência do Deus de Jesus Cristo.

Precisamos viver da fé e dos valores do Evangelho. É preciso passar do conhecimento racional de Deus, para o conhecimento do coração, encontro pessoal e compromisso real com Jesus.

Cada um é a única testemunha de sua própria experiência de Deus e sabe como é. É importante que sejamos conscientes desta experiência, para que dê sentido à própria vida.

A seguir, um exercício para ajudar a entrar em contato com a experiência de fé e articulá-la para si mesmo. Responda por escrito a cada sentença, honesta e francamente:
  1. Quem é Deus para você?
  2. Raramente penso em Deus como...
  3. Sinto-me mais em contato com Deus quando...
  4. O momento da minha vida em que fiquei mais consciente do poder de Deus, trabalhando em mim e acima de meus próprios limites, foi...
  5. Minha oração a Deus é mais constante...
  6. E Jesus quem é para você?...
  7. Eu senti o Espírito Santo agindo na minha própria experiência, quando...
  8. O que mais desejo partilhar sobre a minha experiência de Deus é...
  9. Quando estou em contato com a minha limitação ou os meus próprios pecados, sinto Deus como...
  10. O que mais me agrada de Deus é...
  11. Quando penso no amor de Deus por mim, sinto-me...
  12. O sinal mais certo da presença de Deus em minha vida é...
Tema: Imagens de Deus e imagens de si
A “percepção espiritual” (consciência!) não é a mesma coisa que santidade, como a caminhada espiritual não é a mesma coisa que a consciência dessa caminhada.  Permitamos à Trindade Santa de tocar o nosso mistério. A Trindade é mistério, pois ela é o totalmente Outro. Deus respeita o meu mistério e eu devo respeitar o mistério dele.

Algumas vezes reduzimos o mistério estereotipando os outros. Quando isto acontece, as pessoas não são livres para se comunicar, pois os sentimentos são filtrados e desfigurados; a observação é prejudicada e a comunicação truncada. Bloqueamos a palavra reveladora de Deus em nossa experiência pelas falsas imagens de Deus, de nós mesmos e da mesma oração. Imagens que influenciam nossas respostas afetivas e as nossas expectativas,

O que é uma “imagem” de Deus? É uma atitude espontânea irrefletida que influencia a minha resposta ao Senhor. Essas “imagens” podem ser caricaturas, estereótipos, crenças escondidas, etc., e estão ligadas com as nossas atitudes em relação à vida e aos outros. Bloqueia a resposta afetiva.
Exemplos:
   a) Pense na imagem que as pessoas podem ter quando escutaram de pequenas: “Deus vai levar você por ser mau...
   b) Imagens falsas de Deus: Papai-Noel, tirano, polícia, arquiteto, etc...

Quem têm imagens falsas de Deus não pode experimentar a presença d’Ele de forma pessoal. Deus permanece, para essas pessoas como fora da vida, observando tudo, manipulando tudo. Isso leva às pessoas a se olharem como objetos e não como sujeitos da sua história.

As imagens falsas de deus afetam à imagem da própria pessoa, pois facilmente se sentem culpadas de não ficar à altura do figurino; elas se sentem mais espectadoras do que participantes. Estas imagens falsas de Deus e de si próprio afeta também à oração, considerada mais como um dever e não como experiência afetiva interpessoal.

Para fazer uma experiência verdadeira de Deus temos que ficar livres das falsas imagens. Líderes espirituais aprendem a reconhecer as falsas imagens de Deus no trabalho com os outros. Por exemplo: Quando alguém partilha tudo o que sente e fala, fala sem parar... pode ter uma auto-estima baixa e procura a aprovação do grupo. Falsas imagens prejudicam a caminhada pessoal e comunitária e não deixam progredir.

A verdadeira “imagem” de Deus é a do Senhor Jesus Ressuscitado. Todas as outras “imagens” da Bíblia devem ser vistas sob este aspecto. As “imagens negativas” que encontramos na bíblia são exemplos de como pessoas desobedientes e alienadas projetavam sua própria alienação sobre o amor de Deus. Um exemplo disto acontece quando uma criança desobediente projeta “tirania” e medo  sobre o amor e preocupação dos pais.

É importante, pois, tornar-se conscientes desta realidade em nossa vida de oração, para que o nosso relacionamento com a Trindade Santa e com os outros seja sem bloqueios.

Avaliação desta reunião: Como se sentiu? O que aprendeu?  

Lição de casa: aprofundar a consciência de sua própria existência.
1º dia: releia sua própria experiência de Deus              
2º dia: Ef 4, 1-6
3º dia: Imagens que tem de Deus, de si e da oração...     
4º dia: Ef 1, 3-14
5º dia: At 4,5-13
6º dia: Reler o que fez no 3º dia

0 comentários:

Postar um comentário