Carta aos pais com filhos drogados...

Tudo começou com um punhado de anfetaminas e o desejo desenfreado de vencer...

Querida família: Paz!

Vocês acabam de descobrir que seu filho de 16 anos consome drogas... e querem tomar uma atitude urgente: cortar o mal antes que ele acabe viciado, pois então a dificuldade será ainda maior...
  
Criamos com todo amor e cuidado os nossos filhos, mas de repente acontece o vendaval. Tudo se transforma e é então é que nos damos conta de três realidades:
1. Eles cresceram e vão se tornando independentes mais rápido do que pensamos. Aquelas crianças que seguiam e obedeciam, agora resistem até em acompanhar-nos...
2. Eles vivem em grupos de amigos e fazem o que eles dizem e realizam. A juventude identifica-se com seu bando e tem nele a sua identidade: modo de se vestir e de se comportar... O grupo tem muita força!
3. O mundo é um imenso supermercado de convites para experimentar e consumir tudo o que ele produz. No meio de tantas ofertas há algumas boas, outras prejudiciais e aquelas terrívelmente más, pois destroem toda a beleza interior do ser humano... 

O que fazer? Proponho dez pontos para reverter essa situação:

1. Aproximem-se do seu filho e não o deixem sozinho. Ele resistirá inicialmente a esta aproximação, mas encontrem formas de estar com ele. Estar mais juntos, como família. Aproximação feita maternal e paternalmente, com muito carinho e cuidado. Não tratá-lo como criança, mas respeitando suas opiniões e ideias... Agir com violência só aumenta o problema.

2. Aproximem-se também dos amigos dele. Ver o que pensam, o que sentem e o que fazem. Ofereçam sua casa para que se reúnam para estudar ou ouvir música... Mas estejam por perto. Conhecendo os amigos, estarão também sabendo quem são os pais. Reúnam-se para apoio mútuo e montar juntos um programa de ação.

3. Envolvam a escola, pois geralmente os amigos estudam no mesmo colégio. Relatem para os seus dirigentes o que está acontecendo... O problema da droga envolve também a educação. Os formadores poderão ajudar bastante. Sugira que ofereçam mais esporte para os alunos e que exijam mais nos estudos. Esconder o problema só fará com que ele aumente.

4 . Criem interesses comuns, mesmo participando do que o seu filho gosta. Curte skate? Por que não levá-lo a um campeonato dessa modalidade esportiva? O esporte sempre é uma boa coisa!

5. Dialoguem. Dialogar não é dar ordens e muito menos fazer sermão. Jogar conversa um para o outro (e não fora!). Batam papo, falem abertamente sobre as drogas, mas não mintam dizendo que ela é ruim, pois se fosse assim ninguém experimentaria... A droga é gostosa, mas os riscos que traz embutidos são imensos! Quantos viciados perderam tudo: saúde, família, amigos, futuro...

6, Invistam na vida espiritual. Convidem seus filhos para participar do grupo de jovens, dos escoteiros ou de alguma outra comunidade que se reúna com sentido de crescimento e de apoio entre si. Mas sejam coerentes, pois os jovens estão muito atentos ao “façam o que digo, mas não ao que eu faço”... Eles detestam tudo aquilo que cheire a comportamento que não esteja sendo cumprido por nós pais. O jovem está aberto à experiência de Deus, apoiem-no a que busque nele o sentido da sua vida...

7. Tenham um projeto familiar de solidariedade: ajudar a quem precisa... Um asilo, uma creche... Sempre há pessoas precisando de ajuda! Criem algo para ser mais altruístas... Há muita vida fora do ambiente familiar; olhem, pois, para fora e coloquem-se a serviço. O jovem adora ajudar e participar. Encham o tempo dele com coisas bonitas e significativas e envolvam até os amigos dele...

8. Busquem apoio de quem entende do problema. A droga é uma dificuldade universal e as saídas também estão disponíveis em muitos lugares. Não fiquem sozinhos; busquem pessoas sérias, que saibam como lidar com esta questão. Avaliem com gente especializada o ambiente externo no qual estão vivendo e vejam se é possível conviver com ele ou se não é melhor se afastar do lugar...

9. Mais que um assunto de polícia a droga, dentro de casa, é questão de Amor. Não ajam como policiais, mas como pais que desejam o melhor para os filhos. Amor, mais do que falado precisa ser demonstrado.

A droga costuma ser um grito de socorro. O que está faltando? Como casal, no que estão contribuindo para o problema...

10. Sozinhos pouco ou nada podemos fazer. Além do apoio da escola, dos amigos, da comunidade e de gente mais especializada, procurem rezar. Rezem por ele e peçam outros para rezar...

Daqui também rezo para que logo possam agradecer ao Senhor por terem superado, como família unida este problema.

Receba meu abraço fraterno,

Fernando Cyrino

Uma pergunta: Você conhece outras formas de ajudar quem entrou na droga?

10 comentários:

  1. pARTICIPAR DO TRATAMENTO,JUNTO COM ELES,VISITANDO,SE INTERESSANDO,LEVANDO ESPIRITUALIDADE(SÃO MUITO RECEPTIVOS);ENFIM,COLOCANDO-SE A SERVIÇO COM AMOR NOS CENTROS TERAPÊUTICOS.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, pelo artigo aos pais de drogados. Já trabalhei na recuperação de alguns jovens e hoje ainda surgem pessoas em meu caminho. Muitos não aceitam nem falar em Deus então apresento a força do amor a si mesmo, a vida... Espero um dia poder falar que este amor diferente que deseja o bem é o próprio Deus...

    ResponderExcluir
  3. Vou ler com muito carinho seu texto e imprimir para a minha mãe querida.Tenho um irmão usuário de drogas que foi internado e faz minha mãe sofrer muito!Muito obrigada pelo texto...

    ResponderExcluir
  4. O grupo Amor Exigente é também uma forma de buscar ajuda. Acredito que se reúnem às 20 H no Santuário São Francisco na 915 Norte, às segundas feiras e na Igreja São Camilo na Asa Sul, às quintas feiras. Tem o grupo Naranon - narcoticos anônimos e uma reunião aberta por mês, que vale a pena participar!

    ResponderExcluir
  5. Eu acho o problemas das drogas um pouco relativo. O ser humano que entra no MUNDO DAS DROGAS... Isso é muito forte e depende muito do ponto de vista. Temos estatísticas: 90% dos que entram, não conseguem sair. Mas o que é entrar no 'Mundo das Drogas'. O problema, para mim, está no vício. Uma Coca cola pode ser uma droga, onde muitos não conseguem viver sem. Tomar coca cola, faz mal à saúde, mas ninguem alerta, tão quanto sobre a Cerveja. A cerveja é uma droga, que é consumida licitamente por todo o planeta. Faz mal, mas não é proibida. E o cigarro é um dos males mais nojentos que conheço. O cigarro é uma droga licita que é consumida, também pelo mundo todo e não é proibida de forma alguma, apenas advertida. Assim como todas as outras que citei. O problema das drogas ilícitas, é o vício que nos causa. A cocaína, o craque, drogas injetáveis, inaladas, ácidos, entre outros, estão cada vez piores e entrando nas famílias pelos jovens cada vez mais novos. Essas são drogas que nunca experimentei e nem tenho curiosidade de experimentá-las. Drogas que eu repudio. Mas afirmo ser usuário de Maconha, e não me vejo errado em minha situção. Sou Católico, Apostólico e firme na minha Fé! Há mais de 10 anos frequento e me dedico ao catolicismo. Nunca fumei um cigarro de tabaco na minha vida. Minha mãe fuma desde os 12 anos de idade, já tirou 2 câncer de seu corpo e não deixa de fumar. Ela sempre foi católica, mas nunca foi à igreja. A partir de 2002, ela quis frequentar a igreja comigo. Há 3 anos atrás experimentei a Maconha pelo meu próprio intuito. Pelo minha própria vontade. Nunca fui 'na onda' de amiguinhos. Nunca fui influenciado por alguém. Experimentei porque eu quis e talvez por isso, Graças a Deus, hj não sou um viciado. Não sou um jovem que perco minha vida entrando semanalmente na favela para comprar, ou que perco minha vida usando todos os dias. Eu gosto de apenas fumar maconha. Diferente de necessitar de usar. Por isso, me enquadro nos 10%, Assumindo que uso, e dando meu depoimento, que o preconceito é tão grande com a Maconha, que as pessoas se tornam ignorantes falando mal delas. 60% das pessoas que repudiam a Maconha, fumam cigarro de tabaco, e 50% delas bebem bebidas alcóolicas. Os pais tem SIM que tomar MUITO cuidado com as drogas na vida dos filhos. Mas a preocupação maior está no vício. Pouco são os jovens que têm AMOR no coração como eu e que não estão mergulhados no prazer do vício. O vício é o pior nível de desenvolvimento das drogas. Pais, não deixem seus filhos serem INFLUENCIADOS! Briguem pela autenticidade deles! Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. Concordo e gostaria que todos tivesse está consciência, o problema é quando o jovem utilizam a maconha da forma errada e não tem essa consciência, o meu filho não tem, liberado para usar a maconha não contente passou a vender, me pergunto porque? Não bastou só usar teve que se envolver. E agora o que fazer? Não sei que linha seguiu. Mais valeu obrigada...

    ResponderExcluir
  7. não podemos usar drogas,pois ela prejudica e nos tira de tudo o que amamos.

    ResponderExcluir
  8. tenho 16 anos e quero largar mas nao consigo...nao tenho avontade suficiente para pedir ajuda aos meus pais

    ResponderExcluir
  9. meu filho mudou muito de comportamento depois de umas novas ''amizades'', então resolvi instalar o www.brunoespiao.com.br no celular dele, descobri que ele estava usando drogas, depois de muita conversa conseguimos resolver a situação

    ResponderExcluir
  10. meu nome e mônica sou mãe de filho que usa droga e muito triste essa palavra em todos os sentidos , gostei muito dessa carta vou levar em meu aprendizado de vida. obrigada e parabens .

    ResponderExcluir