7. Discípulos e missionários de Jesus...

A liberdade e a poesia a gente aprende na vida...
Deus quis salvar-nos por  meio dos outros, mas facilmente desprezamos a mediação e preferimos ficar sozinhos. Somos muito egoístas, pouco comunitários e o individualismo nos transborda. Alguns até acham idiota isso de ajudar o necessitado!

Fomos condicionados, pelos meios de comunicação social, a usar as coisas e até a vida, só em benefício próprio. Numa palavra: descristianizaram-nos! Temos medos dos outros, e provavelmente somos rivais e não amigos nem irmãos... Cada um está na sua!

Faz tempo, ajudava a capinar o nosso quintal. Havia muito mato e o sol rachava... Alguém até dizia que havia cobra e escorpião... Eu tinha todos os motivos para interromper o trabalho. Mas me veio aquele pensamento: Este quintal é como o mundo que precisa ser melhorado...Você topa? E continuei com mais afinco a tarefa iniciada.

Precisamos 'capinar' nosso mundo! Muita erva daninha e mato tem sufocando muitas propostas e pessoas. Precisamos de pessoas corajosas e animadas para roçar a plantação de Deus. Desbravar e depois plantar! Você topa?

Sempre houve pessoas generosas que, escutando o convite de Jesus, se apresentaram decididas e entusiastas. Mas há também aqueles que enrolam o tempo todo.

Jesus convidou doze pessoas, diversas nos seus temperamentos e histórias. Nem tudo fora correto e coerente na vida daqueles primeiros seguidores do Senhor, mas a luz experimentada foi maior do que as vividas. Seus nomes? Pedro, terrivelmente temperamental e André, seu irmão. João e Tiago, agressivos por natureza; os chamavam de 'filhos do trovão'. Os quatro, pescadores de água doce. Filipe, homem bom e Natanael, inteligente e perspicaz. Mateus, funcionário público pouco honesto e Tomé, um intelectual de esquerdas e para quem a fé não era fácil. Simão, fanático nacionalista e Judas Tadeu e o Iscariotes, que o traiu. 

Também o seguiram algumas mulheres: Madalena, Salomé, Joana, mulher de Cusa e funcionario de Herodes, Susana e muitas outras... (Lc 8, 1-3). 

Seguir e servir o Senhor é um convite para todos e todos somos importantes e valiosos. Basta escutá-lo e se perguntar: para onde ele quer me levar?

Finalizo com uma poesia de D. Helder Câmara: Até o Fim

Não, não pares. É graça divina começar bem.

Graça maior, persistir na caminhada certa.
E manter o ritmo...
Mas graça das graças é não desistir.
Podendo ou não podendo,
caindo, embora, aos pedaços,
chegar até o fim..

Uma pergunta: o que lhe impede de ser melhor discípulo/a do Senhor?

0 comentários:

Postar um comentário