Peregrinação Inaciana (6 a 22/SET): Casa-Torre dos Loyola...

Do alto da torre eu vislumbrava Deus...
No dia 9/SET visitaremos Loyola, terra natal de Santo Inácio (1491-1556). Ele foi batizado na bela igreja paroquial de Santa Maria, a Real, de Azpeitia, pequeno município, 14.000 hab., do norte da Espanha.

A Casa-Torre dos Loyola está situada no vale do rio Urola e à beira do imponente morro do Izarraitz (1027 m de altura)

Santa Casa de Loyola. É o lugar onde nasceu e se converteu Inácio de Loyola, o caçula de treze irmãos. Sua mãe falecera pouco depois do seu nascimento e o pai quando ele tinha 16 anos de idade. Dois anos antes, Inácio saíra de casa, para se tornar pajem do ministro do Tesouro Real do Reino de Castela, tempo dos Reis Católicos Fernando (1452-1516) e Isabel. No castelo de Arévalo, Inácio viveu 11 anos de vaidades e futilidades...

A Casa-Torre é um edifício medieval, do século XIV. Os dois pisos inferiores são de pedra; os superiores, de tijolo, estilo mudéjar. Sobre a fachada, o brasão dos Lopes (lobos!) de Loyola. Na entrada, um conjunto escultórico de bronze representa Inácio gravemente ferido e trazido em maca para casa...  

O piso térreo mantém sua estrutura medieval, com paredes de quase 2 m. de espessor. Local para armazém e despensa. No segundo piso, a cozinha e as dependências dos criados. O terceiro piso era a parte nobre da casa: dormitório dos senhores, refeitório, salão nobre e a capela. Na capela um pequeno quadro da Anunciação, presente da Rainha Isabel à sua amiga Madalena de Araoz, cunhada de Inácio.

O último andar era reservado para os filhos. Nele está a bendita capela da conversão com uma frase que diz: Aqui se entregou a Deus Íñigo de Loyola!

Santuário e Basílica. O edifício tem uma fachada de 150 m. de comprimento e no centro, a basílica circular com sua grande cúpula, sustentada em 8 arcos de dois tamanhos diferentes. A basílica foi inaugurada em 1738 e a imagem de Santo Inácio, prata maciça, foi colocada em 1758, poucos anos antes da expulsão dos jesuítas de Espanha, 1767, por ordem do Rei Carlos III. Lembro que a mesma Companhia será suprimida pelo Papa Clemente XIV em 1772. Anos depois, com a desamortização de Mendizábal, 1836, o Santuário passa a depender do governo. O governo por um decreto real devolverá à Companhia de Jesus a Casa-Torre, por ocasião do IV Centenário do nascimento de S. Inácio, 1991. 
A Casa dos Áustrias impulsou a construção do Santuário, mas foi finalizado na com ajuda dos Borbons, daí o brasão deles no pórtico de entrada da basílica. O órgão tem 2.172 tubos e as portas principais são de cedro do Líbano. 

Nessa obra monumental se destaca a cúpula33 m. de diâmetro (a de São Pedro/vaticano: 42 m.) e uma altura de 50 m., rematada por uma lanterna de 15 m. A estrutura da cúpula é dupla e, entre ambas há uma escada circular de 0,50 m. de largura.

O projeto original da cúpula foi de Carlo Fontana, discípulo de Bernini, e deveria estaria apoiada sobre muros que dariam lugar a diversas capelas interiores. Esse projeto foi perigosamente modificado, para ter uma nave circular maior e de grande beleza. Isso comprometeu o suporte da cúpula, criando problemas estruturais com perigosas fendas que só foram equacionadas recentemente.

O altar mor, 1757, feito de diversos tipos e cores de mármore.

Os sinos tem nomes: São Luís Gonzaga, 1738, é grave e toca nas médias; o de São Francisco Xavier, de 113 cm. de diâmetro, é de 1760 e marca as horas.

Perto da basílica está o `caserio´ onde nasceu o irmão jesuíta são Francisco de Gárate, típica construção rural da região.


Maiores informações: 
ITIQUIRA TURISMO. Fone: 61 3226 8980 
E-mail: internacional@itiquiraturismo.com.br



Um comentário:

  1. Emerson L Martins24 de julho de 2014 13:48

    Será com muita emoção que visitaremos esses lugares.

    ResponderExcluir