Você é positivo ou negativo?

O menino de ontem me plange... (M. de Barros)
As atitudes que tomamos dependem do nosso sentir e este pode ser `espontaneamente´ positivo ou negativo... Atitudes negativas, em relação às pessoas e ao seu entorno, não nos realizam e nada constroem.

Ninguém é feliz sozinho ou metido numa jaula de ouro. A convivência é sinal de boa saúde física e mental. Estamos umbilicalmente vinculados e precisamos do respeito e carinho de todos. A liberdade e o amor, bem empregados, consolidam o melhor do que somos e temos; mal utilizados, ocasionam conflitos e estropícios pessoais e sociais.

A saúde ou a doença política, econômica ou moral da sociedade dependem, em última análise, do nosso sentir. 

Você já percebeu que não há liberdade absoluta nem amores perfeitos nos humanos... Contudo, a concretização do possível apresenta resultados excepcionais, pois o positivo quando concretizado é bem maior do que ele mesmo. Verdade e amor concretizados, por menores que eles sejam e apareçam, não só humanizam como deixam transparecer o divino escondido. Os gestos gratuitos são sempre epifania da graça escondida.

Não há sociedade sem o respeito de uns e de outros. Agir adequadamente e tomar decisões positivas e significativas são o objetivo de quem decidiu pautar humanamente a sua vida.

Sabemos que nem sempre nossas decisões são positivas. A limitação faz parte da nossa bagagem e freqüentemente pesa mais do que deve. Como descondicionar essa negatividade aderida? Como romper essa corrente histórica de “carmas, feitiços e maldições” familiares e pessoais que escondem o melhor de nós mesmos? Inácio de Loyola fez essa desconstrução, quando contava 30 anos de idade, quebrando o domínio negativo da sua história pessoal e familiar. Será que a liberdade como o amor não se conquistam antes desse tempo?

Uma maneira de mudar nosso agir é se conscientizar da negatividade que condiciona nossa vida e decisões. A percepção do que somos e fazemos cria maior sensibilidade nos relacionamentos e um jeito mais positivo de ser e proceder.

A sensibilidade espontânea positiva abre e constrói; a negativa, por desgraça, encolhe e encobre os nossos horizontes. A fragilidade e limitação podem ser superadas pelo acolhimento desinteressado dos outros. O cuidado carinhoso por tudo e todos dá um significado novo e ilumina sensivelmente a própria existência.

Os outros são espelhos da nossa bondade ou da nossa iniquidade, por isso quem conseguir tecer a vida junto com outros é um vencedor. Eu procuro não ser vencido!

Uma pergunta: Você consegue frequentemente concretizar o melhor da sua vida?


0 comentários:

Postar um comentário