O Papa Francisco na Turquia...

 Juntos como irmãos... 
O que mais podia eu ter feito? podia perguntar-nos o Papa Francisco, após sua viagem ecumênica à Turquia (28 a 30/NOV). Ele fez o impossível para abrir portas e criar fraternidade.

O primeiro dia foi dedicado ao governo turco que o acolhia, e aos muçulmanos. Lembrou às autoridades políticas de Ankara a responsabilidade em manter a paz na região e e em proteger os direitos das minorias religiosas que ali habitam: judeus e cristãos. Com os líderes religiosos do Islã (muçulmanos) Francisco lembrou o respeito recíproco que devemos ter e que nos leva a condenar publicamente as barbaridades dos fundamentalistas do grupo Estado Islâmico degolando pessoas ao seu bel prazer. Às vezes, dá a impressão que as autoridades muçulmanas silenciam quando deveriam publicamente condenar tamanha barbaridade... Toda pessoa humana é sagrada e deve ser respeitada. O fundamentalismo religioso e o terrorismo não podem ser apoiados nem com o nosso silêncio!

No dia seguinte, em Istambul, onde dois meses atrás também nós estivemos com o grupo dos peregrinos inacianos, o Papa descalço, como manda o protocolo muçulmano, visitou a belíssima mesquita Azul e junto do Grão Mufti, chefe religioso, rezaram juntos. O que cada um disse, só Deus sabe. 

A acolhida fraterna do Patriarca Bartolomeu foi um destaque de fraternidade cristã. O Papa participou da liturgia ortodoxa, como se fosse da casa, e juntos suplicaram pela plena comunhão entre ambas as religiões (católica e ortodoxa). Todos desejamos que isso aconteça quanto antes...

O que mais podia ser feito?

Parabéns, Papa Francisco, mais e melhor era humanamente impossível!
E você o que mais pode fazer pela fraternidade?

0 comentários:

Postar um comentário