Quando o Espírito nos arrasta...

Não podemos responder aos problemas de hoje
com as soluções de ontem... (Pe. Pedro Arrupe) 
Santo Inácio de Loyola descreve a experiência de Deus mais significativa que teve na sua vida:Uma vez ia, por devoção, a uma igreja que estava mais de uma milha de Manresa. Creio que se chama São Paulo, e o caminho vai junto do rio. Indo assim em suas devoções, assentou-se um pouco com o rosto para o rio, o qual ficava bem em baixo. Estando ali assentado, começaram a se lhe abrir os olhos do entendimento. Não tinha visão alguma, mas entendia e penetrava muitas verdades, tanto em assunto de espírito, como de fé e letras. Isto, com uma ilustração tão grande que lhe pareciam coisas novas..." (Autob. 30).

Aquele antigo soldado aguerrido e mundano que, meses antes romperá com a futilidade de uma vida vazia, foi arrastado pelo Espírito de Deus e começou a experimentar, na solidão da sua vida, uma experiência inesquecível de Deus. Não foi numa Igreja ou no meio da celebração litúrgica, mas quando caminhando junto do rio Cardoner se assentou um pouco com o rosto para o rio... Parou e se encontrou com Deus que, por tanto tempo, o procurara... 

Foi uma experiência inesperada, clara, indubitável... A mente se lhe abriu e Inácio compreendeu muito mais do que imaginara, o fantástico mistério da redenção...

Olhando o rio, quase nada, começa a enxergar muito. Não foi uma aparição de Nossa Senhora nem de algum anjo... Foi muito mais do que isso! Vê a Trindade Santa debruçada sobre o mundo, olhando a humanidade na sua diversidade... e Jesus dizendo: Eis-me aqui, ó Pai, para fazer a redenção do gênero humano...  

A vida de Inácio muda radicalmente após esta experiência, pois a partir de agora ele se sente remido e convidado a se associar a Jesus e ajudá-lo nesta missão. Inácio, inesperadamente, foi tocado e fortalecido pelo Espírito de Deus!

Quem sabe se você, cansado de buscar inutilmente o sentido da própria existência em futilidades, se assenta um pouco com o rosto para o rio da própria história e se sente tocado pelo Espírito de Deus, descobrindo a alegria de ser discípulo de Jesus.

Quando o Espírito nos arrasta somos fortalecidos.

Foi isto que Jesus viveu e experimentou quando se dirigiu para o deserto... Ele toma consciência de que sua vida é totalmente do Pai e dos irmãos e irmãs!... Neste contexto de silêncio e solidão, se entrega radicalmente à sua missão, derrubando possíveis provações e tentações. Sua decisão é firme: “Chegou o tempo! O Reino de Deus está próximo!...”

E você está disposto a se deixar guiar pelo Espírito de Deus?... 

Faça silêncio e olhe interiormente para o que o Senhor lhe quer ensinar e mostrar...

Uma pergunta: O que Deus lhe pede para ser e viver?


0 comentários:

Postar um comentário