Kailane, 11 anos, vítima de intolerância religiosa no Rio se encontrou com Dom Orani...

Amai-vos uns aos outros como Eu vos tenho amado... 


A menina Kailane Campos, 11 anos, vítima de intolerância religiosa no Subúrbio do Rio, foi recebida junto com sua mãe pelo arcebispo da cidade, cardeal Dom Orani Tempesta, na sede da arquidiocese.

A jovem tomou o café da manhã com D. Orani e conversou sobre os episódios acontecidos.

De acordo com o Arcebispo as pessoas que agrediram a menina de religião de matriz africana, são minoria e não podem ser consideradas cristãs. A intolerância e a não aceitação do outro não nos representam. Essa não é a postura dos cristãos, afirmou Dom Orani.

A menina, que saia de um terreiro da Vila da Penha vestida de branco, foi ferida por pedrada na cabeça lançada por seguidores de uma igreja neo-pentecostal.

Que eu saiba nem o ódio e nem a intolerância fazem parte do Evangelho de Jesus, nem de qualquer doutrina religiosa. O fanatismo, venha de onde vier, é perigoso e anti democrático. 

E você o que acha da atitude de D. Orani?

5 comentários:

  1. Carlinhos CVX Bahia20 de junho de 2015 04:27

    só uma correção, a religião dela é de matriz africana e não kardesista.

    a nota pública do CONIC foi muito incisiva.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a D. Oraní. Sua atitude foi inclusiva evangélica; a dos outros excludente e prepotente...

    ResponderExcluir
  3. Parabéns a D. Oraní. Sua atitude foi inclusiva evangélica; a dos outros excludente e prepotente...

    ResponderExcluir
  4. Essa atitude de Dom Orani me deixa feliz e esperançosa.

    ResponderExcluir
  5. D. Oraní testemunhou Jesus Cristo, acolheu. É isso!

    ResponderExcluir