O que disse o Papa Francisco na Evangelii Gaudium... (Cf. Pe. J. Hortal sj)

Eu pareço com nada parecido... (M. de Barros)
Tempos atrás, uma jornalista me telefonou para falar sobre a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, do Papa Francisco. Curiosamente, estava mais interessada no que não foi dito do que naquilo que o Papa disse: "Por que não falou da ordenação de mulheres e da união homossexual?..." Por uma simples razão, disse-lhe, porque a Exortação Apostólica é um documento que recolhe as reflexões e considerações do Papa sobre o que foi falado no Sínodo sobre A Nova Evangelização... 

Lembremos que o último Sínodo Ordinário foi celebrado em outubro de 2013, quando o Cardeal Bergoglio ainda era o arcebispo de Buenos Airese lhe coube o papel de relator. Por isso, esta Exortação tem um sabor todo especial, porque nos Sínodos anteriores, os Papas participavam apenas em algumas sessões, mas neste, por ser Bergoglio um dos representantes da Conferência Episcopal Argentina, esteve presente em todas as sessões. Ninguém melhor do que o relator e agora Papa para explicitar o que os bispos reunidos em Roma manifestaram.

Três ideias percorrem a Exortação: 
1. Alegria na vivência e no anúncio da fé; 
2. Conversão que gera ousadia e coragem, à qual Francisco chama "primeirar", quer dizer, fazer por primeira vez; 
3. Proximidade com o povo, atitude fundamentalmente pastoral: que o pastor "tenha cheiro de ovelha". 

Ao povo simples Francisco dedica a última parte do documento: problemas sociais e sofrimento dos humildes.

Alguém poderia estranhar que, sendo o tema central a alegria, se fale tanto do sofrimento e da injustiça. Devemos anunciar e viver a alegria da fé nas situações mais complexas da vida. 


0 comentários:

Postar um comentário