Comissão pontifícia sobre o diaconato feminino na Igreja Católica...


O Papa Francisco decidiu instituir hoje, 02/AGO/2016, a Comissão de Estudo sobre o Diaconado Feminino na Igreja Católica, presidida pelo secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, D. Luis Francisco Ladaria Ferrer SJ.
A  Comissão está constituída por seis homens (bispos e sacerdotes), e seis mulheres (religiosas e leigas), entre os quais 2 jesuítas.
No dia 12/MAI, num encontro com a União Internacional de Superioras Gerais (UISG) de institutos religiosos, o Papa tinha anunciado que iria criar uma comissão para estudar a possibilidade do diaconado feminino.
Francisco quer ver essa presença feminina alargada aos “vários lugares onde se tomam as decisões importantes, tanto na Igreja como nas estruturas sociais”.
As reivindicações dos legítimos direitos das mulheres, a partir da firme convicção de que homens e mulheres têm a mesma dignidade, colocam à Igreja questões profundas que a desafiam e não se podem iludir superficialmente. Começamos a caminhar...
Eis os membros da comissão:
Ir. Nuria Calduch-Benages, M.H.S.F.N., Membro da Pontificia Comisão Biblica;
Professora Francesca Cocchini, Docente na Universidade «La Sapienza» e no Instituto Patristico «Augustinianum», Roma;
Mons. Piero Coda, Preside do Instituto Universitário «Sophia», Loppiano, e Membro da Comissão Teológica Internacional
Pe. Robert Dodaro, O.S.A., Presidente do Instituto Patristico «Augustinianum», Roma, e Docente de patrologia;
Pe. Santiago Madrigal Terrazas, S.I., Docente de Eclesiologia na Universidade Pontificia de «Comillas», Madrid;
Ir. Mary Melone, S.F.A., Reitora Magnifica da Pontificia Universidade «Antonianum», Roma;
Rev.do Karl-Heinz Menke, Docente emérito de Teologia dogmática na Universidade de Bonn e Membro da Comissão Teológica Internacional;
Rev.do Aimable Musoni, S.D.B., Docente de Eclesiologia na Pontificia Universidade Salesiana, Roma;
Pe. Bernard Pottier, S.I., Docente no Institut d'Etudes Théologiques», Bruxelles, e Membro da Comissão Teológica Internacional;
Professora Marianne Schlosser, Docente de Teologia espiritual na Universidade de Viena e Membro da Comissão Teológica Internacional;
Professora Michelina Tenace, Docente de Teologia fundamental na Pontifícia Universidade Gregoriana, Roma;
Professora Phyllis Zagano, Docente na «Hofstra University», Hempstead, New York.

Primeira reunião da comissão: 19/SET. 

O que você pensa que poderá acontecer?


9 comentários:

  1. Espero que lembrem das dificuldades de lugares onde não há sacerdotes e que por isso precisamos de toda ajuda
    Somos todos seres humanos filhos do Criador precisamos lembrar disso mais do que do gênero

    ResponderExcluir
  2. Ceres de Andrade Paes2 de agosto de 2016 17:21

    Querido Pe.Ramon Cigõna,SJ,
    Salve Maria!
    Vamos rezar para que o Espírito Santo ilumine todas as pessoas que estarão a decidir isso.A Santíssima Trindade atua constantemente!

    ResponderExcluir
  3. As mulheres não deixam de ser uma presença importante na Igreja como já tem sido na sociedade civil. É um passo importante e requer muita atenção ao Espírito porque Ele sempre fala. Não se trata de machismo ou feminismo na Igreja é uma maneira de ser e de estar na mesma. Oxalá todos estejam atentos ao Espírito Santo. Rezarei.

    ResponderExcluir
  4. É claro que o gabarito intelectual desses componentes dão grande garantia de êxito ao trabalho dessa comissão. Porém, existem pessoas que poderiam representar a grande massa de mulheres que já atuam em comunidades espalhadas por tantas periferias atuantes.

    ResponderExcluir
  5. Espero e desejo ardentemente que a inclusão das mulheres em postos de decisão na igreja faça justiça a uma exclusão ontológica e sistemática que através dos tempos tem excluído mais da metade da humanidade de uma participação plena e igualitária. Tenho firme convicção que são as mulheres que esvaziam as Igrejas, quando tomam consciência da exclusão por meio de linguagem, símbolos e ritos que denotam essa exclusividade.

    ResponderExcluir
  6. A inclusão das mulheres neste ministério será se for confirmado uma grande bênção para a Igreja. Há tantos lugares carentes de presença eclesial, lugares até esquecidos nas frentes de missões. Creio que uma diaconiza faria perfeitamente este papel. Não para tapar buracos de sacerdotes mas para serem a presença efetiva e MATERNA da Igreja.
    Que o Espírito Santo continue iluminando esta comissão.

    ResponderExcluir
  7. Nos dias atuais é imprescindível a presença feminina neste ministério ordenado. É fato que a Igreja não alcança todos os espaços. Infelizmente não só por falta de ministros mas também falta boa vontade.
    A presença feminina dará a Igreja uma face materna de fato pois dará a possibilidade da Igreja estar efetivamente em todas as comunidades.
    Que o Espírito Santo continue iluminando esta comissão.

    ResponderExcluir
  8. Deus escolheu Maria para ser a Mãe de seu filho Jesus. Se Deus confiou em uma mulher para trazer a salvação ao mundo a Igreja também deve confiar.É O Papa Francisco abrindo espaços e fazendo com que todos enxerguem a importância da inclusão, inclusive da mulher.
    Antônio Carlos dos Santos (Toninho) Itaú de Minas - MG.

    ResponderExcluir
  9. To dentro! Eu quero ser, mas sou divorciada...quero saber o que faço

    ResponderExcluir