SÃO JOSÉ LUIS SANCHEZ DEL RÍO (1913- 1928)... (Marta A. Vieira)

Estou pronto para ser imolado...” (2 Tm 4, 6)



A revolução mexicana, ou Guerra Cristera, ocorrida no México, é uma realidade desconhecida por muitos. Este conflito foi deflagrado pela legislação anticlerical promulgada em 1926, e pela feroz perseguição contra a Igreja Católica promovida pelo então presidente Plutarco Elías Calles.

A legislação anticlerical proibiu as ordens religiosas, suprimiu a Companhia de Jesus e seus colégios, e impôs a deportação e o encarceramento dos bispos ou sacerdotes que protestassem. A Igreja foi privada dos direitos de propriedade e liberdade civil.

Pior, os laicistas concederam liberdade para todos os cultos, exceto o católico, submetido ao violento controle do Estado.

Pio XI publicou na encíclica “Iniquis afflictisque” as agressões sofridas pela Igreja no México: “Já quase não resta liberdade alguma à Igreja [no México], e o exercício do ministério sagrado se vê de tal maneira impedido que é castigado, como se fosse um delito capital, com penas severíssimas...”.

A Igreja Mexicana não se acovardou diante de tamanha perseguição. Pelo contrário: A Liga Nacional Defensora de la Libertad Religiosa espalhou-se por todo o país, opondo aos adversários uma frente destemida, de impressionante solidez. E quando era mais feroz a perseguição, inúmeros heróis se ofereciam ao martírio e morriam gritando “Viva Cristo Rei!

Um desses mártires era apenas um adolescente... Chamava-se JOSÉ LUIS SANCHEZ DEL RIO. Nasceu em  Michoacán e fazia parte da Associação Católica da Juventude Mexicana.

Quando a Guerra Cristera explodiu, seus irmãos alistaram-se na Liga Defensora da Libertad Religiosa, mas sua mãe não permitiu que ele o fizesse, pois era muito jovem. O próprio general que comandava a força de resistência (Prudencio Mendoza) também não achava oportuno o alistamento daquele menino. Mas José Luis insistiu: “Também quero ter a oportunidade de dar a vida por Cristo, e de chegar ao céu!E tamanha foi a insistência que conseguiu a autorização de sua mãe.

Numa luta fortíssima no dia 6/FEV/1928, o cavalo do dito general foi morto. Nosso pequeno herói, então, teve o gesto que o levaria à prisão: Imediatamente desmontou de seu cavalo e o ofereceu ao general, dizendo: “Aqui está meu cavalo, meu general. Monte nele. Salve-se. O senhor faz falta na luta. Eu não faço...

O general conseguiu fugir, mas José Luis foi preso e encarcerado num calabouço medonho, e fedorento, aguardando a morte firme, valente, inabalável. Tão íntegro que os inimigos diziam: “És valente, menino! Vem conosco, que será melhor para ti do que estar com esses cristeros...” E José Luís respondia: “Antes morto. Fuzilem-me!

Chegou o dia fatal. Às 10 horas da noite o tiraram do calabouço e, com a faca, cortaram-lhe os pés. E o puseram a andar a pé até o cemitério. Achavam que, com aquele tormento ele negaria a fé, mas não foi o que aconteceu: fez o caminho dando vivas a Cristo Rei e a Nossa Senhora de Guadalupe. No cemitério, perguntou qual era a sua sepultura, e até lá andou, colocando-se à beira da cova. Uma vez lá, os guardas lançaram-se sobre ele, apunhalando-o. A cada punhalada, nosso menino glorificava Cristo rei e Nossa Senhora de Guadalupe.

O capitão-chefe da escolta, mais por crueldade, perguntou-lhe, a certa altura da tortura, o que deveria dizer a seus pais. José Luis respondeu: “Que nos veremos no céu! Viva Cristo Rei! Viva Nossa Senhora de Guadalupe!” O capitão disparou contra sua cabeça. Tinha 14 anos de idade.

Seus restos mortais repousam no templo paroquial de Santiago Apostol, en Sahuayo, Michoacán.

SAO JOSE LUIS SANCHES DEL RÍO foi canonizado no dia 16/OUT/2016 pelo Papa Francisco.

Roga por nós, menino corajoso de Deus! 



5 comentários:

  1. Menino cristero! Como podemos matar crianças por uma causa política! Ele dorme nos braços de Deus...

    ResponderExcluir
  2. Que linda a vida desse garoto ,a coragem , sua maior demonstração de fé é para nos envergonharmos, pois muitas vezes me pego observando e tb me incluindo , qdo vejo católicos e evangélicos manifestando tanta fé nas missas e cultos eu pergunto-me : E se Jesus aparecesse agora qtos acreditariam??? Qtos demonstrariam sua fé verdadeira ou nós o apedrejaríamos novamente??????

    ResponderExcluir
  3. Sempre me impressiono com esses corpos incorruptos

    ResponderExcluir
  4. Não acho que isto muito importe, mas, enfim: corre o mundo a afirmação de que o corpo de Joselito estaria incorrupto. Eu, com as imagens que tenho, não posso deixar de pensar que isso não procede. Veja algumas:

    Esta é a da exumação. Só há ossos, e não em bom estado. Na verdade, soube que a clavícula que foi levada como relíquia ao altar de sua canonização quebrou em 3 pedaços, de tão frágil. Tiveram que levar um desses 3 pedaços.
    Os restos mortais de Joselito estão envoltos nesse pano dourado, cujo conteúdo sequer se parece com um corpo, que dirá incorrupto...
    Obrigado. (M.A.V)

    ResponderExcluir