O mistério do autismo…


Vai se celebrar em Madri/Espanha o “I Congreso sobre Trastorno del Espectro del Autismo (TEA)”, para aproximar famílias e profissionais da saúde sobre essa realidade tão frequente e enigmática.
Todos conhecemos crianças autistas e sabemos que a descoberta dessa “neuro-diversidade” foi uma tragédia para os familiares. Com o passar do tempo, esse ser humano tão desprotegido se transforma num tesouro sagrado que mexe continuamente com a nossa ternura.
O número de autistas ou pessoas com o TEA é mais alto do que imaginamos: 2 autistas por cada 1000 pessoas. E é mais frequente nos meninos do que nas meninas. 
O autismo se caracteriza pela dificuldade na comunicação social e comportamentos repetitivos e obsessivos. Daí: deficiência intelectual, dificuldades de coordenação motora e de atenção, hiperatividade, dislexia (dificuldade na leitura) ou dispraxia (dificuldade psicomotora). Na adolescência o autista pode desenvolver ansiedade ou depressão.
O autismo é uma condição permanente, pois a criança nasce com autismo e torna-se adulto autista. Com tudo, como qualquer ser humano, cada pessoa é única e pode sempre nos surpreender.
A pessoa autista podem desenvolver uma forma de super-sensibilidade sensorial em um ou mais sentidos (visão, audição, olfato, tato e paladar).
As pessoas com Transtornos do Espectro Autista podem se destacar em habilidades visuais, musicais, ou artísticas. A maioria das pessoas com autismo é atenta aos mínimos detalhes e à exatidão, e possuem uma capacidade de memória muito acima da média. Essa paixão pela rotina pode ser um fator favorável na execução de certos trabalhos. 
Indivíduos com autismo são funcionários leais e de máxima confiança.
Se você conhece pessoas autistas como lida com elas?

0 comentários:

Postar um comentário