Todos temos algo de ovelha perdida... (Cf Papa Francisco)

















Jesus vem como um juiz que cuida, cheio de ternura: faz de tudo para nos salvar. Ele não vem para condenar, mas para salvar; procura cada um de nós, nos ama pessoalmente, pelo nome, assim como somos.

A ovelha perdida se perdeu porque o coração estava doente, cego por uma dissociação interior, e foge para ficar longe do Senhor, para saciar aquela escuridão interior que a levava à vida dupla: estar no rebanho e fugir para a escuridão. O Senhor conhece estas coisas e vai a sua procura. A figura que melhor me faz entender o comportamento do Senhor com a ovelha perdida é o comportamento do Senhor com Judas, disse o Papa Francisco.

A mais perfeita ovelha perdida no Evangelho é Judas: um homem que sempre tinha algo de amargo no coração, algo a criticar, sempre separado. Não sabia da doçura da gratuidade de viver com todos os outros. E sempre, esta ovelha não estava satisfeita – Judas não era um homem satisfeito! – fugia. Fugia porque era ladrão, ia para aquele outro lado, ele. Outros são luxuriosos, outros... Escapam porque têm aquela escuridão no coração que os separa do rebanho. Vida dupla de tantos cristãos, e também, de sacerdotes, bispos... E Judas era bispo, era um dos primeiros bispos... Pobre ovelha perdida! Pobre este irmão Judas, como o chamava Pe. Mazzolati: ‘Irmão Judas, o que acontece no teu coração?’. Nós devemos entender as ovelhas perdidas. Também nós temos sempre algo, pequeno ou nem tanto, das ovelhas perdidas.

Aquilo que faz a ovelha perdida não é tanto um erro quanto uma doença que está no coração, e da qual o diabo tira proveito. Assim, Judas, com o seu coração dividido, dissociado, é o ícone da ovelha perdida, e que o pastor vai procurar. Mas Judas não entende e no final, quando viu aquilo que a própria vida dupla provocou na comunidade, se desesperou.

Há uma palavra na Bíblia – o Senhor é bom, também para estas ovelhas, nunca deixa de procurá-las – que diz que Judas se enforcou, enforcou ‘arrependido. Eu creio que o Senhor tomará aquela palavra e a levará consigo, eu não sei, talvez, mas aquela palavra nos faz duvidar. Mas, essa palavra o que significa? Que até o final o amor de Deus, trabalha até no momento do desespero. E esta é a atitude do Bom Pastor com a ovelha perdida. Este é o anúncio, a boa notícia que nos traz o Natal e nos pede essa sincera alegria que muda o coração, e que nos leva a deixar-nos consolar pelo Senhor.

Jesus, quando encontra a ovelha perdida no Jardim das Oliveiras, chama Judas de “Amigo”. São as carícias de Deus:

Quem não conhece as carícias do Senhor não conhece a doutrina cristã! Quem não se deixa acariciar pelo Senhor está perdido! É esta a boa notícia, esta é a alegria sincera que nós hoje queremos. Esta é a alegria, esta é a consolação que buscamos: que venha o Senhor com o seu poder, que são as carícias, a encontrar-nos, para nos salvar, como a ovelha perdida e nos levar para o rebanho de sua Igreja.

Que o Senhor nos conceda a graça de esperar o Natal com as nossas feridas, com os nossos pecados, sinceramente reconhecidos, para esperar o poder desse Deus que vem nos consolar, que vem com poder, mas o seu poder é a ternura, as carícias que nascem do seu coração, um coração tão bom que deu a própria vida por nós.



0 comentários:

Postar um comentário