A Cúria Romana começa a perder poderes...



A enérgica Cúria Romana perde poderes para alegria do povo de Deus.
Deixa de ser a ‘prepotente’ e passa a ser o que sempre deveria ter sido, uma instância de ajuda aos bispos.

O motu próprio do Papa Francisco, Magnum Principium, foi um passo importante para implementar o que ainda faltava: descentralizar o poder de decisão da dita Cúria. A partir do dia 1/OUT, não mais legislará sobre os textos litúrgicos, mas apenas confirmará as traduções feitas pelas Conferências Episcopais.

O Papa está dando um grande passo neste pequeno documento pois a partir de agora serão as Conferências Episcopais que dirão como deve ser a vida litúrgica da Igreja. Era isso que pretendia o Concílio Vaticano II, 50 anos atrás, e não a cansativa queda de braço com as instâncias romanas.

São os bispos, e não os escritórios de Roma, os que devem dizer como devem ser traduzidos os livros litúrgicos, para que respondam ao sentido pleno do que o povo entende e não do que o documento latino quer dizer.

Provavelmente é o primeiro passo para outras reformas que as Conferências Episcopais possam aprovar, pois caberá a elas muitas das coisas que antes se decidiam nos escritórios de Roma, com desagrado não poucas vezes dos bispos locais.

A Cúria Romana não mais corrigirá nem “revisará”, mas apenas “confirmará”.


4 comentários:

  1. Agradeço a Deus estar vivo para testemunhar este avanço. E ainda sonho em viver muito, para assistir e participar de muitos outros!

    ResponderExcluir
  2. Juca
    Este é o sopro do Espírito que sopra
    onde precisa e age tempestivamente.
    " A justiça olhara do alto Céu "!

    ResponderExcluir
  3. Que se invista na formação do laicato e que este assuma a sua vocação batismal e conquiste maior espaço e corresponsabilidade na dinâmica da vida eclesial.


    ResponderExcluir