O Sinédrio acusa a Jesus de Nazaré de propagar heresias... (Pe. Bruno Franguelli, SJ)


Prezado Jesus de Nazaré,

Com profunda aflição, mas movidos pela fidelidade à Lei de nossos pais, o amor aos preceitos da Torah e à nossa religião, nos dirigimos a ti para comunicá-lo que já não suportamos mais as heresias que diariamente presenciamos através de suas palavras, atos e omissões.

Tuas atitudes, Jesus, têm escandalizado profundamente o nosso povo e confundido as pessoas a respeito da nossa Lei. Muitos já começam a imitar tuas atitudes e negam verdades milenares que conservamos e tu, ao invés de reprová-los, pelo contrário, os apoias. Muitos doutores da lei, que se submetem a participar de teus ensinamentos e realizam perguntas honestas a ti, não recebem resposta, mas o teu silêncio.

Caro nazareno, se tu te consideras um profeta, trata de não impor doutrinas estranhas aos teus seguidores. Tenha consciência que tuas atitudes são totalmente contrárias não só a fé e aos preceitos da Lei, mas aos ensinamentos dos nossos Pais. E tu, não tens direito algum de desfrutar de maior autoridade que nossos verdadeiros profetas. Deste modo, emitimos esta correção para proteger nosso povo e também aqueles que ignoram nossa Lei, na esperança de evitar ulterior difusão de doutrinas que tendem por si mesmas à profanação dos ensinamentos da Torah e à subversão da Lei de Deus.

Gostaríamos de escrever as nossas acusações em Latim, a língua oficial do Império, mas tu és um judeu marginal. Um homem de Nazaré, como tu, poderia ter aprendido o latim se até o teu aramaico ocidental é carregado de sotaque galileu? Por isso, redigimos na tua própria língua as palavras, atos e omissões que tu, nazareno, estás propagando como heresias e ofensas graves a Lei:

- Te recusaste a dar uma resposta aos nossos sacerdotes, escribas e anciãos quando te pediram respeitosamente para responder com qual autoridade ensinas esta tua doutrina estranha. A nossos doutores, escribas e fariseus, que honram nossa fé e possuem autoridade para ensinar, tu os trata com desprezo e ignora suas intervenções. Como ousas, nazareno?

- Que tipo de profeta pensas que és com estas tuas condutas duvidosas? Acolhes os pecadores, sentas à mesa com as pessoas de má fama e deixa-te tocar por pessoas impuras e até por mulheres. És um bebedor de vinho, participas de festas com os malfeitores e caminhas ao lado deles. Por favor, diga-nos, quem és tu?

- Teu desrespeito à Lei dos nossos pais é bem conhecido. Até mesmo teus conterrâneos e parentes de Nazaré falam disso. Tu desdenhas nossas sagradas tradições, profanas o Sábado sem nenhum escrúpulo, comes e bebes sem respeitar nossos sagrados ritos.

- Com teu discurso sobre a tal infinita misericórdia de Deus difundes o relativismo moral e religioso. Como podes negar as ameaças de Deus aos adúlteros? Como ousas tirar as pedras de nossas mãos? Ainda nos recordamos bem que uma destas mulheres que te acompanham por todos os lados é aquela adúltera, surpreendida gravemente em adultério a quem concedeste teu perdão barato e infame.

- Depois dos teus discursos heréticos e blasfemos, os pecadores parecem não se esforçar na busca da verdadeira perfeição. Será que não te recordas mais da Torah, prezado Jesus? Perfeição verdadeira é o cumprimento pleno da Lei e de todos os seus preceitos. Agora, tu consideras outra coisa a perfeição: vender todos os bens e dar aos pobres. Assim, desprezas o dinheiro e te colocas ao lado dos pobres. Estás não somente contra a nossa religião, mas contra Roma. És realmente um anarquista e um desordeiro!

- Enquanto nos dedicamos a ensinar nossa Lei, o decálogo, os preceitos, tu os resume todos em apenas um mandamento? Para quê? Para adocicar os mandamentos? Para torná-los mais fáceis? Queres mudar a Palavra de Deus? Pobre Jesus, realmente és um instrumento de Belzebu.

- E por último, cometeste mais um gravíssimo erro, Jesus. Enquanto nós, que temos autoridade e estudamos minuciosamente a santa Lei, adoramos o verdadeiro Deus e nos afastamos dos pagãos, Tu, não somente te aproxima deles, mas também elogia a fé desses infiéis a ponto de ainda considerá-la maior que a nossa. Caro Nazareno, tens noção do que dizes? Parece que és ingênuo e não sabes que eles adoram deuses estranhos. Por acaso não sabes que eles vivem na imoralidade? Parece que preferistes o aplauso deles em vez de pregar a sã doutrina. És um populista, nazareno. Tu nem deverias considerar-te judeu. Estamos certos que detestas nossos sacros preceitos e preciosas tradições.

Todas essas proposições contradizem verdades divinamente reveladas, nas quais todo judeu deve crer com assentimento de fé divina. Elas foram identificadas como heresias por mais de 60 membros do Sinédrio. Ao elencar essas sete proposições, não pretendemos fornecer uma lista exaustiva de todas as heresias e erros. Tu és, Jesus, um perigo para as almas! Se não voltar atrás e condenar tuas próprias palavras, atos e omissões, teremos de tomar providências mais sérias. Por muito menos já entregamos muitos hereges a Herodes e Pilatos. Tens, por acaso, medo da cruz?



Um comentário: