2º Domingo do Advento: UMA VOZ QUE PROTESTA E SUBVERTE... (cf. Pe. A. Palaoro SJ)

Esta é a voz daquele que grita no deserto... (Lc 3,4)

Em um mundo barulhento não é fácil prestar atenção às vozes carregadas de vida. O excesso de problemas petrifica, por vezes, a nossa própria interioridade. Hoje, o Advento nos apresenta o estímulo da voz de João Batista que apela a modificar nossas prioridades, e ouvir a voz dos que buscam um outro estilo de vida colocando as pessoas acima de tudo.

Essa foi a missão do profeta João proclamando mudança e abertura à novidade d’Aquele que está chegando A voz de João grita no deserto, e ressoa em nosso próprio interior, destravando consciências silenciadas por uma cultura interesseira. Como João Batista, expressemos nossa voz para com os que pensam, creem e amam diferente.Voz e vida clamam.

Ouvir a voz de João nos sensibiliza a escutar outras vozes carregadas de vida. Às vezes, nos acomodamos a viver em bolhas, onde raramente entram vozes que nos comovem de verdade.

Há lamentos infindos, não tão escondidos, e que deixamos de escutar porque se chegássemos a ouvi-los, nos deixariam profundamente impactados e deprimidos. São vozes claras, rotundas, honestas, vozes dos excluídos, pobres e famintos, vítimas de preconceito, homens e mulheres que sofrem a intolerância e a indiferença.

Às vezes, essas vozes nos conduzem a um dilema: para quê escutá-las se não podemos fazer nada? Para que tornar a vida mais amarga? O desafio é ampliar dentro de nós um espaço no qual outras vozes possam ressoar, recordando-nos que ainda há muito por fazer para continuar construindo o Reino de Deus, onde todo ser humano possa viver com sua dignidade asseguradaViver é uma arte que precisamos praticar,e a fraternidade um desafio cotidiano.

O Advento contém muitas possibilidades: pode gerar variadas combinações e sinergias. Advento é como um calidoscópio que combina uma infinidade de vozes e cores. As vozes dos diferentes encontram seu espaço, se identificam e potenciam na relação mútua. Encontramos unidade na diversidade.

Preparai o caminho do Senhor. Como abrir caminhos para encontrar Aquele que vem? Deus chegará por caminhos bem diferentes dos que estamos acostumados a percorrer. Precisamos construir caminhos novos e mais planos de acolhida, solidariedade e partilha. Deus não pode entrar na história através de caminhos que desembocam em corações carregados de ódio, indiferença, fanatismo e de preconceito para com tantas vítimas de poderes que desumanizam.


Os personagens políticos e religiosos nomeados (Pilatos, Herodes, Anás, Caifás...), apesar de seus poderes e intrigas, não conseguiram extinguir a esperança que a voz profética de João clamava, a partir da periferia.

Advento, é tempo de resistência.


0 comentários:

Postar um comentário