Mulher japonesa vai ao Museu do Prado para ver a Imaculada que lhe mudou a vida...



Há histórias que parecem até inventadas, mas quem as viu conta, entusiasmado, o acontecido. 

Uma mulher japonesa viu, anos atrás, o quadro da Imaculada, do famoso pintor sevilhano Bartolomeu Murillo (1617-1682), em Osaka. Só ver o quadro, ficou tocada, e aquela vida insensata mudou de sentido. Assim, pois, anos depois foi ao Museu do Prado/Madri, em busca daquela pintura.

Quando chegou a uma das salas de Murillo, viu que o quadro que buscava, a "Imaculada Concepção" do Escorial (1660-1665), se encontrava em talher. O belíssimo quadro pintado a óleo branco, azul e amarelo representando uma jovem e virgem, não estava em exposição.

Para surpresa dos vigilantes, nossa protagonista se pus a chorar desconsoladamente, diante daquele espaço vazio. Os vigilantes perguntaram o que acontecera, e a mulher chorando contou sua história, e como aquele quadro tinha mudado sua vida no Japão... Vida de então nada bonita, nem florida... Destroçada, sem vontade de viver…  Mas vendo a beleza e a harmonia daquele quadro pensou que o mundo ainda tinha coisas belas que mereciam ser vistas e curtidas… 
Aquela "Imaculada" lhe produziu tal emoção um dia, que lhe deu forças para continuar vivendo. Queria, pois, rever aquele quadro que lhe mudara a vida... Daí sua a tristeza e lágrimas….
Afortunadamente, o Diretor do museu passava pelas salas quando foi informado do sucedido, e pediu para levar esta mulher ao talher, para que pudesse ver de novo aquela pintura. 
Lembro as palavras de Dostoievski (1821-1881): “A beleza salvará o mundo!”


0 comentários:

Postar um comentário