Nossa moral sexual na berlinda...


A igreja alemã revisará sinodalmente a nossa moral sexual. Foi o que disse o presidente da Conferência dos bispos Cardeal R. Marx. O que isso significa? 

Controle de natalidade, coabitação extra-matrimonial, relações homossexuais, masturbação, teoria de gênero, celibato sacerdotal… Esses temas tabus, da cintura para baixo, serão estudados e revisados para melhor pelos bispos alemães acrescentando novas realidades como assedio sexual, pedofilia, e mesmo a corrupção ética nos negócios. 

Faz tempo, a igreja católica vive um cisma branco: a hierarquia mantem a doutrina oficial, os presbíteros silenciam e fecham os olhos, e o povo santo de Deus se vira como pode. Outro dia um moço pobre se aproximou de mim e me disse: - Padre, gostar de homem é pecado? Pensei... - Você tem namorado? - Sim! Disse-me candidamente. - Você está feliz? - Sim... Pensei... O corpo é a única coisa que esse jovem pobre tem... - Seja feliz, amigo!... 

Até agora, poucos tiveram coragem de colocar as cartas sobe a mesa e falar sem medo das represálias que podiam vir de Roma. Esse clima neurótico parece que acabou. O Papa Francisco é o primeiro que pede para falar livre e honestamente nos Sínodos da Igreja. Não temos medo da verdade nem da história, disse outro dia. 

Assim pois, assuntos de moral sexual e o tema da participação dos leigos em instâncias de poder na igreja serão tratados na próxima Assembleia geral do episcopado alemão, após a Páscoa. 

Podemos nos perguntar: A Igreja precisa continuar escondendo o sol com a peneira? Não coloquemos mais peso do que aquele que alegremente possamos levar. Na Igreja Católica cabemos todos. 

O cardeal tem razão quando diz que algumas coisas não podem seguir com estão. O que fazer? 

E você, o que pensa?


0 comentários:

Postar um comentário