ANO NOVO: presença visível do Deus da Paz... (cf. Pe. A. Palaoro SJ)

Paz na terra aos homens que o Senhor ama... (Lc 2,14)



Ano Novo sempre desejado e esperado. Como faço uso de algo tão importante e passageiro como o tempo?Chronos é o tempo astronômico, a passagem das horas, dias e anos. É o que celebramos hoje. Tempo que absorve, desgasta e esgota e se torna cada vez mais veloz, fugaz e estressante... 

Outro termo grego referente ao tempo é Kairós”: este é o tempo humano, carregado da presença d’Aquele que é o “Senhor dos tempos”. Tempo que nos é dado como dom e como oportunidade; tempo da interioridade, de crescimento no ser. Viver o “kairós” significa ativar o impulso à transcendência e proporcionar um clima favorável à paz. 

Viver o “kairós” nos faz tomar consciência de que nos encontramos diante de uma grande carência existencial proclamada pelos anjos na noite do Natal: a Paz. Paz entre nós, com a criação e com Deus.  

Paz, um bem escasso, mas tão precioso, sempre desejado e buscado, para que a vida se torne um pouco mais plena e com sentido: paz interior, paz na família e paz entre os povos.

Muitos se perguntam o que fazer com o crescimento de uma violência desconcertante? Em alguns países triunfam líderes populistas, marcados por discursos intolerantes, preconceituosos e moralistas, enquanto a corrupção lança raízes em todos os ambientes e os conflitos se acentuam. A Igreja católica, sacudida por uma grande crise de credibilidade, é deixada de lado. Vivemos um momento de um grande colapso civilizatório, uma mudança da sociedade que afeta todos os aspectos da vida pessoal e coletiva. É uma crise global, e tudo isso nos inquieta e tira a paz.

Por toda parte brota um grande clamor pela paz. Esse clamor está no mais profundo de cada um de nós. Infelizmente, todos os dias aparecem nos meios de comunicação mais motivos para a violência do que razões para a paz. Entretanto, precisamos afirmar: “não fomos feitos para a violência” e o nosso coração é habitado pelo desejo de paz: “Felizes os que promovem a paz!” (Mt 5,9)

Na raiz bíblica do termo “shalom” (paz) está a ideia de “algo completo”. Shalom é a paz total; vida em expansão, na presença de Deus. Quem vive no “Shalom” está com saúde e bem-estar. E quando alguém deseja “Shalom” é como se dissesse: “Que Deus te conceda todo o necessário para viver em amizade com Ele, em fraternidade com o próximo e calma dentro de ti mesmo”.

paz pertence à plenitude, enquanto a violência está do lado da carência, do incompleto. Paz é harmonia consigo, boas relações com os outros e com Deus, enquanto a violência infecciona os relacionamentos, contamina a convivência, e quebra as relações... Não há paz sem liberdade, e sem verdade.

Em Belém, somos pacificados de nossas ansiedades e pressas, e de nossa sede de acumular mais. 
Podemos receber a paz cantada pelos anjos aos pastores e desejada por toda a humanidade. A Paz de Deus, proclamada pelos anjos, é a fraternidade cósmica. 

Serenados(as) interiormente, seremos presenteados com o dom de permanecer no presente, onde tudo está bem, onde tudo flui mansamente e na santa paz.

Shalom para você neste ano de 2020 ...

0 comentários:

Postar um comentário