Faltaram os judeus...

A visita do Papa à cidade santa dos muçulmanos xiítas: Najaf, e o encontro interreligioso em Ur dos Caldeus abriram o coração dos muçulmanos xiítas.

Para Mohammad Sammak, muçulmano `ecuménico´, o islão é uma religião que crê em todas as religiões... Ele foi o único muçulmano a ser convidado nos dois últimos Sínodos sobre o Líbano e o do Meio Oriente. Sammak afirma que as formas estremas religiosas conduzem facilmente a um dualismo patológico: os impecavelmente bons e os irremediavelmente maus. Daí o fanatismo e a violência do califado para destruir e matar os diferentes.

Este desvio `apocalíptico´, presente em tantos fanatismos, quer ser anulado com o encontro entre o Papa Francisco, 86 anos, e o líder religioso dos xiitas ayatollah al-Sistani, 90 anos, na cidade santa deles: Najaf

Francisco, visitando a cidade santa de Najaf, ofereceu a todos os xiitas uma nova luz sobre a fraternidade humana universal... Pena que os judeus não puderam participar...



 

 

0 comentários:

Postar um comentário