Teimosa ternura... (Pe. Francys SJ)


Tu não cessas de abrir meus olhos,

para que eu veja o Mistério presente,

muito além da beleza mundana,

que atrai meu olhar viciado.

O que viste naquela viúva pobre?

Escutaste no gesto dela

a força de uma denúncia profética,

de minha tendência a

dar sobras a Deus e aos outros,

ao invés de oferecer

quem sou e o que tenho para viver...

Ajuda-me a compreender,

o que as mulheres simples

têm ensinado há milênios,

sem fazer barulho nos cofres do Templo.

Estas mestras anônimas,

discretas como a Santidade do Pai,

revelam-me o MAIS

apreciado e louvado por Ti.

A entrega e o dom verdadeiros,

um amor que se arrisca

renunciando seu próprio conforto,

para além das lógicas calculistas.

Pois só aí há Templo,

só aí há Encontro verdadeiro com Deus,

só aí poderei enxergar o Céu

plenamente refletido

na teimosa ternura

do nosso Chão.


 

0 comentários:

Postar um comentário