Um só Deus nas diversas religiões (Hinduísmo, Budismo e Taoísmo...) - I

Um só Espírito, mas multiplicidade de dons... (1Cor 12, 4)
Neste pequeno mundo globalizado nos encontramos com múltiplas experiências religiosas. Essa diversidade, em vez de nos incomodar deveria nos aproximar mais do mistério de Deus, sempre inefável e incompreensível. Deus é um mistério e nossa compreensão sempre será ínfima...

Deus, mistério intransponível e indizível, é captado nas nossas pobres e diversas experiências religiosas. Toda experiência religiosa é limitada e mais esconde do que revela e Deus, sempre mais e maior, é de algum modo revelado por elas. As religiões apenas balbuciam algo sobre o que sentem e experimentam. Daí, nosso respeito e admiração por todos os que se deixam encantar pelo eco do Infinito.

A ‘grosso modo’ podemos dizer que há religiões do ser (Hinduísmo, Budismo e Taoismo), situadas mais no Oriente e religiões da fé (Judaísmo, Cristianismo e Islamismo), vividas mais no Ocidente. Uns encontram Deus na Criação; outros se deixam interpelar mais pelo Amor. E como sempre, uns buscarão o Infinito no finito e outros não perceberão nada nem se interessarão por Ele...

A experiência mística é uma realidade antiga e deu origem às religiões; acontece em todas elas, enriquecendo-as. Diante da mística, seja onde ela acontecer e se encontrar, só cabe respeito e admiração, pois de algum modo deixa transparecer o o Ser e o Amor do único Deus.

Vejo a experiência da ‘não-dualidade’ nos místicos do Hinduísmo; não é identidade panteísta, como alguns pensam, mas aquele não somos dois, mas também não somos um!... que só os místicos sentem e intuem. Deus, o totalmente inacessível nos habita e está em todos e todos nele!

Algumas sombras, próprias da limitação dos humanos, foram projetadas sobre este mistério imarcescível de Deus: desvalorização das realidades (sempre tão fugazes e passageiras!) e da história; ou até do próprio ser humano que entra de cheio nessa temporalidade. Daí, as castas e o processo re-encarnatório hinduísta, buscando etapas maiores e melhores...

O Hinduísmo é seduzido pela grandeza do ser de Deus, deixando na penumbra o pobre ser humano...

O Budismo, ‘heresia’ do hinduísmo, também tem seus místicos. Se o hinduísta foi seduzido por Deus, o budista se deixa arrebatar pela carência do ser humano, daí sua dimensão filantrópica, religiosa, agnóstica ou mesmo ateia. Mas, a ‘experiência mística’ pode dar-se até em não crentes, quando são envolvidos visceralmente pela misericórdia e compaixão para com todos. A solidariedade é ‘mística’ por natureza, pois expressa qualidades divinas. Quem se nega a si mesmo, para ajudar gratuitamente, é um ‘iluminado’.

O Budismo é seduzido pela compaixão, deixando na penumbra Deus...

E o Taoismo? O que dizer deste caminho da ‘sabedoria’, da experiência sapiencial do Mistério? Acaso não podemos vislumbrar Deus nessa busca pela sabedoria? Nos provérbios relatados por Lao Tse, fruto de uma experiência iluminada, se apresenta o melhor da natureza humana. E quando esta revela o melhor dela, podemos encontrar a profundidade da Verdade e da Beleza que a todos habita...

O ser humano faz parte de um conjunto maior que nos une e reúne e alguns conseguem intuir essa presença. A materialidade do Ser dará evolutivamente saltos qualitativos: passara a ser matéria vivente e desta para o ser racional (pessoa humana), até se divinizar em Jesus. 

As diversas expressões religiosas são lampejos de Deus nos caminhos da humanidade!

Uma pergunta: você vive na superficialidade ou na profundidade do Ser?

Um comentário:

  1. Toda experiência é individual, é particularmente só sua,vivida por cada um. Não se transmite por palavras uma experiência com Deus. Não se pode explicar esse encontro, "o essencial é invisível aos olhos". A medida que minha alma tem "sede" de algo mais, paro, olho para dentro de mim mesma, reflito e saboreio meu encontro com Deus.Minha resposta a esse encontro se dá quando participo da história do outro.
    Esse texto me fez refletir sobre minha busca interior. Que Deus lhe use cada vez mais para iluminar os corações sedentos do amor do Pai.

    ResponderExcluir