CF/2014: Fraternidade e tráfico humano...

Começa a CF/2014 e o cartaz reflete a crueldade do tráfico humano. Ele existe e contabiliza tanto dinheiro, 32 bilhões de dólares, quanto a industria maléfica da guerra ou a do submundo das drogas. 

As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente. Homens e mulheres, jovens e crianças são vítimas deste absurdo desumano... 
Essa situação viola gravemente a dignidade do ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus
As correntes rompidas e envoltas em luz apontam para a esperança de libertação do tráfico humano. “É para a liberdade que Cristo nos libertou...” (Gl 5, 1).

A maioria das pessoas traficadas é pobre ou está em situação de grande vulnerabilidade. As redes criminosas do tráfico se valem dessa condição, o que facilita o aliciamento com enganosas promessas de vida mais digna. 

E assim as vítimas embarcam para o país de destino. O aliciador pega os passaportes e estes coitados adquirem dívidas enormes pelos custos da viagem, estadia e alimentação.
Sem o passaporte e em situação ilegal no exterior as vítimas não sabem como agir, para buscar ajuda. Existem no país, mais de 240 rotas do tráfico de pessoas. Os principais países de destinos das vítimas brasileiras são Espanha, Bélgica e Portugal.

Como ajudar?

O Governo Brasileiro disponibiliza diversas maneiras de receber denúncias seja pelo serviço telefônico nacional 100 ou via internet, pelo e-mail disquedenuncia@sedh.gov.br.

As pessoas que se encontram fora do Brasil podem denunciar e solicitar ajuda procurando a Embaixada ou Consulado mais próximo.

Para vítimas que se encontram em território nacional: Divisão de Direitos Humanos da Polícia Federal, fone: (61) 3311-8270 ou Plantão da Coordenação Geral de Polícia de Imigração (CGPI) que recebe denúncias em qualquer horário, por meio do telefone: (61) 3311-8374.

No caso de Tráfico de Crianças e Adolescentes, vítimas com menos de 18 anos: Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, pelo Disque 100 ou pelo telefone: (61) 3429-9907.

Só as denúncias podem ajudar a esclarecer os crimes e desmontar as quadrilhas que compõem a rede internacional do tráfico de pessoas.

Colaboremos! Vítimas e traficantes precisam ser libertados... 


0 comentários:

Postar um comentário