3º Dia, 2º Exercício: Aniquilou-se, para ajudar...

Tivestes cinco maridos...

Somos limitados, frágeis e pecadores, mas sempre amados misericordiosamente pelo Pai. Deus amor se aniquila por nós, nos salva do caos e da insensatez e dá um sentido maior às nossas vidas. 

Não é fácil se abaixar e ajudar os outros, pois nosso orgulho e autoestima muitas vezes o impedem. Só quem ama muito consegue fazer isso! Geralmente, nos poupamos ou buscamos vantagem própria nas nossas palavras e gestos. Deus não é assim! Ele nos amou, mesmo quando ainda éramos negativos e pecadores (Cf. Rm 5, 8). Daí, o nosso louvor, serviço e agradecimento. Amor com amor se paga.

É próprio de Deus-Amor amar. Como imagem e semelhança de Deus estamos também chamados a partilhar a vida positivamente e ajudar os mais necessitados. Há muitas razões para não amar: todas inválidas e egoístas. E só uma para fazê-lo: os outros precisam de nós!

Deus nos amou quando éramos ainda pecadores! Deus continua amando-nos e recriando-nos, mesmo diante das nossas rebeldias e ingratidões... Deus amando-nos vence nossas resistências e possibilita nossa resposta positiva.

Deus nunca nos abandona, mesmo estando limitados por nossas petulâncias e loucuras. Ele não se envergonha de chamar-nos de irmãos (Hb 2,11) e toma a iniciativa, vindo à procura dos que se perderam e deterioraram...

Jesus de Nazaré, Filho de Deus, igual ao Pai, não se prevaleceu de sua condição divina e se fez criatura. O Santo se fez semelhante ao "pecado" para que nós, nele, pudéssemos nos tornássemos filhos de Deus. Pela sua morte temos vida de novo! Renascemos em Cristo e somos novas criaturas.

Ele tomou sobre si as nossas iniquidadescomo o bode expiatório dos hebreus jogado no deserto. Pelas suas chagas fomos curados! A medida da destruição do pecado é dada pelo tamanho das chagas de Cristo. O Filho do Homem não veio para condenar, mas para procurar e salvar quem estava perdido!

Quem nele crer será salvo; quem nele não crer já está condenado porque não acreditou no Filho único de Deus (Jo 3, 18).

Na perversão do pecado se manifesta a ternura de Deus. O crucificado, ressuscitando dá nova consistência à história. No horizonte da nossa negatividade, Jesus Cristo crucificado e ressuscitado é nossa e nova esperança.

Reconduzirei a desgarrada, procurarei a perdida. Se não me queres atrás de ti, não te desgarres, não te percas...  (S. Agostinho: Sermão sobre os Pastores. OD,  2ª-feira, após o 25º DC). Modelo de bom pastor e da caridade pastoral.

O poder de Jesus te criou e o seu aniquilamento te recriou... Fez-nos com seu poder e procurou-nos no seu aniquilamento... (S. Agostinho). Deus “primeirou”, como gosta de dizer o Papa Francisco. Agradeçamos!

Textos para orar durante a semana:
  • Jo 3, 16-21: Deus amou o mundo e enviou seu Filho único...
  • Jo 1, 14O Verbo, igual ao Pai, se fez "carne" e habitou entre nós...
  • Lc 23, 39-43Jesus perdoa o ladrão ao seu lado na cruz.
  • Fl 2, 4-11Jesus se rebaixou gratuitamente...
  • 1 Jo 2, 15-17Não ameis o mundo nem o que há no mundo...
  • 1 Jo 4, 7-10Enviou seu Filho como vítima expiatória...
  • 2 Cor 5, 14-21Deus se fez pecado... e nos reconciliou consigo...
  • Ef 2, 1-10: Deus, rico em misericórdia, deu-nos a vida juntamente com Cristo...
  • Hb 2, 14-18Libertou os que ficavam paralisados com medo...
  • 1 Cor 15, 20-22; Rm 5, 1-21: Por um homem entrou o pecado...
  • Lc 15A ovelha desgarrada...
  • Lc 19, 1-10Zaqueu, hoje entrou a salvação nesta casa...
  • Is 41, 13-20Não tenha medo vermezinho...
  • Is 53O Servo sofredor. Carregava nossas dores...
Finalize sua oração cm um colóquio de amizade: Imaginando Cristo, Nosso Senhor, sobre a cruz diante de mim, fazer um colóquio, perguntando como, de Criador, veio a fazer-se homem, da vida eterna chegou à morte temporal e assim veio a morrer por meus pecados. Perguntar igualmente, olhando para mim mesmo, o que tenho feito por Cristo, o que faço por Cristo e o que devo fazer por Cristo. Enfim vendo-o nesse estado e assim suspenso na cruz, pensar nas ideias que me ocorreremRezar um Pai Nosso (EE 53).

Terminar com um colóquio de misericórdia, agradecendo a Deus Nosso Senhor por me ter conservado em vida até agora, e propondo de me emendar, com a sua graça, de agora para frente... (EE 61). Não amamos se não nos esvaziamos! 

Escreva no seu caderno de vida: Como se sentiu? Apelos surgidos? Dificuldades encontradas?

0 comentários:

Postar um comentário