Por amor a Jesus... (Autobiografia de S. Inácio de Loyola)

A terra parecia-lhe amiga...
Marcado o dia da partida, cruzou o umbral da Casa Torre dos Loyola, acompanhado por seu irmão Pedro, sacerdote em Azpeitia e companheiro de antigas aventuras. Martin, irmão mais velho de Ínhigo, não entendeu bem a decisão dele deixar a casa paterna e com palavras enérgicas, o quis afastar do seu bom propósito. Ínhigo, porém, acalentava no seu coração outros sonhos e não se deu por vencido...

Deixar a vida mundana não é fácil! Às vezes, é a própria família que o dificulta. Inácio decidiu deixar aquele ambiente falsamente protetor. Assim, pois, cavalgava ele uma mula, acompanhado por seu irmão padre, que quis ir com ele até Oñate. No caminho decidiram celebrar uma vigília em Nossa Senhora de Aránzazu, pequena ermida aninhada num montanha. Sua oração, aquela noite, foi para alcançar forças para esta nova empreitada. 

Naquela capela de Nossa Senhora e não tendo por testemunhas a não ser o céu e a terra, Inácio fez voto de castidade no segredo de sua consciência, pois sabia que tinha falhado frequentemente nisso. Agora, surgem novos sonhos e outros horizontes maiores por amor a Jesus.

Deixou o irmão em Oñate, na casa de uma irmã, e ele continuou seu  caminho sozinho... Para onde?

Sozinho e na sua briosa mula, por caminhos empoeirados, lá vai o homem convertido sem conhecer temores ou obstáculos. A terra parecia-lhe amiga... Ele tomou o rumo de Barcelona, quem sabe conseguiria um barco para entrar em Terra Santa como peregrino...

Só quem tenta o absurdo consegue o possível! Inácio toma a sério o Evangelho do Mestre e sente Jesus como seu companheiro.

Os santos, certamente não nasceram santos; foi o amor que assim os fez.

Uma pergunta: E você, para onde vai e por amor a quem?

0 comentários:

Postar um comentário