Deixando-se encontrar por Deus... (Autobiografia de S. Inácio de Loyola)

Lendo a vida de Nosso senhor e a dos Santos, parava a pensar raciocinando consigo E se eu realizasse isto que fez São Francisco? E isto que fez São Domingos?... (Autob. 7)

Segundo o evangelho de Tomé, Jesus teria dito: “Quem conhece tudo, mas não conhece a si próprio, não conhece nada”. Como, pois, enfrentar as mentiras escondidas, aquele lado escuro e reprimido que se sobrepõe à própria verdade, sem olhar no mais profundo de si mesmo?

Observar o próprio comportamento e reconhecer as nossas compulsões e obsessões é fundamental. Não é fácil fazer aflorar o melhor de si mesmo no meio das desventuras!

São Paulo diz que a pessoa negativa cria inimizades, contendas, ciúmes, fúrias, ambições, discórdias, partidarismos, invejas e provocações. Ínhigo repassa uma por uma cada uma dessas palavras e se encontra em todas elas. Para sarar seu passado negativo precisa contar uma e outra vez sua história e assim, aos poucos, reconstruir a verdade perdida.

Ínhigo sente que Deus vem ao seu encontro e o restaura da insensatez do seu passado. Emocionado e agradecido chora, pois descobre que sendo amado gratuitamente brota novamente o melhor de si. Aos poucos, sente-se perdoado e reconciliado.

Encontrar a paz é um grande passo e certamente uma experiência inesquecível. Reencontrar a verdade, deixada no meio das incoerências e mentiras, é fundamental para perdoar a quem se tem ofendido. Inhigo percorrerá cada um desses momentos com dor e gratidão. Desse modo, Deus o vai tirando da sua insensatez e, aos poucos, o vai restaurando.

Na sua recuperação, Ínhigo pensa no que fez e no que deve ainda fazer... Perguntas e pensamentos que aguardam por melhores respostas. 

Quem descobre a verdade parece que vê a Deus!

Uma pergunta: Quais são as suas perguntas nesta altura da sua vida?

0 comentários:

Postar um comentário