O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB/RJ) é uma vergonha...


Os primeiros passos deste deputado federal carioca sempre estiveram muito próximos da lama da corrupção. Confira:

1989: Paulo César Farias, conhecido como PC Farias, o convida para assumir a tesouraria do comitê eleitoral de Fernando Collor no Rio de Janeiro, então candidato à Presidência da República. A sua atuação lhe valeu a presidência da Telerj, o que lhe rendeu denúncias posteriores de irregularidades em contratos públicos e licitações. 

Cunha foi um dos personagens próximos na queda de Collor. O irmão do então presidente da República acusa PC farias, tesoureiro da campanha presidencial, de operar no governo um esquema de corrupção cujo volume, na época, foi estimado em R$ 1 bilhão de reais. Collor cai em 1992. Cunha é um dos investigados no “Esquema PC”, e é afastado da Telerj em 93.  Farias seria encontrado morto com a namorada em 1996.  

Após a sua saída da Telerj, Cunha se aproxima do deputado Francisco Silva, dono de uma rádio evangélica. Em 1994, se filia ao PPB, hoje PP. Por indicação de Silva, Cunha se torna presidente da Companhia Estadual de Habitação, na gestão de Anthony Garotinho. Fica no cargo por seis meses, sendo afastado por denúncias de contratos sem licitação e favorecimento de empresas inexistentes.

Em 2001, Cunha assume, por meio de uma articulação de Garotinho, como deputado na Alerj, o que dificulta as investigações contra ele. Em 2002, é eleito deputado federal. Em 2003, troca o PP pelo PMDB. É reeleito em 2006 e 2010.

Em “paralelo” à política, pela proximidade com Francisco Silva, Cunha se torna evangélico e radialista.

Cunha garante a fidelidade de deputados eleitos por conta das ajudas financeiras para suas campanhas.

Nesse cenário, Cunha conseguiu importantes vitórias utilizando-se de manobras, recolocando em votação questões que havia perdido.

Entretanto, Cunha não faz tudo isso sozinho. Quem são os parlamentares que compõem a base mais fiel à ele? 213 parlamentares de diversos partidos e de vários estados. Provavelmente todos estão comprometidos com suas falcatruas econômicas!


Eu me pergunto como os meus amigos cariocas votam tão mal? Certamente este senhor não merece o meu respeito!

E você o que diz?

3 comentários:

  1. Eduardo Cunha aumenta minha decepção com nossos políticos atuais.

    ResponderExcluir
  2. Com pessoas desse nível no poder, tenho dúvidas a respeito da democracia brasileira.

    ResponderExcluir
  3. Cunha é alvo dos blogs de esquerda não por suas qualidades ou defeitos, mas por se mostrar inconveniente à hegemonia do partido que domina o Estado há 13 anos.

    Intrigante ver o deputado alvo de artigo neste espaço, mas Lula, Dilma e PT nunca terem sido lembrados, como se não fossem os maiores responsáveis dos problemas na política nacional recente.

    A esquerda realmente faz um grande desserviço ao debate das questões nacionais e sujeirada política.

    Cunha, apesar de ser quem é, é triste reconhecer, defende mais os valores cristãos referentes a família, aborto e drogas que a nossa própria Igreja Católica, que não se livrou em sua elite eclesial e formação de novos religiosos, da sua ideologia esquerdista típica do clero latino americano, vejam por exemplo a resolução da CNBB em sua última assembléia, nojento, se curva à política partidária e ignora os valores e causas que diz "defender", ignora os anseios e a voz dos próprios católicos, caindo assim à irrelevância, passo último antes ao descrédito.

    ResponderExcluir