Irmãozinho Charles de Foucauld (1858-1916)...

Deixei-me conduzir por um sonho divino...

A figura do bem-aventurado Charles de Foucauld, assassinado no deserto do Saara, em 1/DEZ/1916, sempre me atraiu. Sua proposta de vida contemplativa e despojada é estímulo espiritual para muitos dos seus admiradores.

Já se passaram 100 anos do martírio deste irmãozinho universal. Antes de sua conversão foi um homem entregue às vaidades do mundo, mas depois que descobriu Jesus, se fez discípulo inquebrantável dele.

Nascido na França, converteu-se aos 28 anos de idade: Padre, não tenho fé, peço-te que me instrua... E o padre respondeu: Te ajoelha e confessa teus pecados! Então, crerá! 

E assim foi.

Viveu como um pobre jardineiro em Nazaré, cidade de Jesus. Mas o espírito o levou para longe, para uma solidão maior e profunda, no deserto do Saara, na África. Alí fez uma cabana de pau-a-pique, com uma cortina como porta. Entrada livre para todos, com um pouco de água, para refrescar e aliviar os sedentos do deserto. Um beduíno errante, abusou da sua hospitalidade e o matou a facadas.

O Irmãozinho Carlos foi beatificado pelo Papa Bento XVI, no ano de 2005.

Tanto sangue humano cristão e muçulmano, historicamente derramado, deveria fraternizar nossos espíritos.


Deus seja louvado!

0 comentários:

Postar um comentário