Soberana Ordem de Malta em maus lençóis…


Sabemos do conflito entre a Ordem de Malta e as orientações do Papa Francisco, desde DEZ/2016. Eles pensaram, sob a orientação do cardeal Burke (* 1948), ultra conservador,que poderiam peitar o Vaticano. O Papa apenas tinha nomeado uma comissão para fazer uma auditoria interna, e eles não a permitiram. Pensaram que eram totalmente autônomos da autoridade Papal; esticaram tanto a corda, que agora ela rompeu.

No dia 24/JAN/2017, em audiência com o Santo Padre, Sua Alteza Em.ma Fra’ Matthew Festing, presidente de por vida, foi aconselhado a presentar sua demissão da função que exercia como Grão Mestre da Soberana Ordem Militar de Malta. E no dia seguinte, 25/JAN, o Santo Padre aceitou a dita demissão. Foi assim de rápido. 

Esperamos que o cardeal Burke faça o mesmo.

O governo da Ordem será assumido ad interim pelo Grande Comendador até ser nomeado um delegado Pontifício.

Os países com os quais a Ordem de Malta tem relações diplomáticas reconhecem ao Grão Mestre as prerrogativas e honores que correspondem aos Chefes de Estado, e tem o título de Alteza Eminentíssima, e a Igreja Católica lhe atribui o rango de Cardeal. Esse Grão Mestre reside na sede da Ordem, no Palácio Magistral, em Roma.

Tem algo que me cheira mal nessa Ordem de Malta, e provavelmente ainda assistiremos a outros capítulos...

0 comentários:

Postar um comentário