Grafite versus pichação... (cf. Gustavo Nogy)


Grafite e pichação você sabe diferenciar? Grafite é arte na cidade dos outros disse-me alguém.

A propósito da polêmica paulistana, com alguma boa vontade sou capaz de dizer que, em determinados contextos urbanos o grafite pode ter lugar. Não acredito num ideal sanitário de cidade, limpa e asséptica, como se nela não vivesse gente. No entanto, conceder que o grafite possa ter lugar nalgum lugar não significa que todo lugar seja lugar para grafite. Concorda?

Se a cidade não é propriedade do prefeito, também não é propriedade dos grafiteiros.

O espaço urbano, justamente por ser público, não pode estar sujeito aos capricho de certas tribos da pichação. Uma cidade rabiscada, pichada de alto a baixo com nomes, alcunhas, palavras de ordem, ofensas, xingamentos e bordões... parece mais com os braços de um encarcerado. Tudo o que há de mais caótico e desnorteado cobre o corpo de alguém que já é caótico e desnorteado. Eu digo NÃO à pichação!

Há grafite graciosos e belos, mas tudo tem seu lugar apropriado e não incomodando. 

De resto, já vi mais de um pichador fazendo 'arte' na casa alheia, mas nunca o vi fazendo 'arte' nas paredes da própria casa...

E você o que pensa? 


0 comentários:

Postar um comentário