Fixar nosso coração sobre a pessoa e a proposta de Jesus...

E vós quem dizeis que Eu sou?...” (Lc 9, 20)
 
O Senhor conduziu os discípulos para um lugar afastado, para um momento de intimidade entre eles e com Deus. E, num certo momento, perguntou-lhes, como numa sondagem de opinião: Quem sou eu para vocês?
A resposta não podia ser teórica, mas comprometida e existencial. Quem é Jesus para mim?...
O Senhor procura pessoas, não definições. Ele é o mestre do coração. A mesma pergunta, mas de outro modo: O que te aconteceu quando me encontraste?
Jesus não dá lições nem sugere respostas. Ele conduz a conversa com delicadeza e procura o melhor de nós mesmos: O coração. Eu gostaria de poder responder assim: Senhor, encontrar-te foi o melhor da minha vida!... Fostes a melhor coisa que jamais me aconteceu!...
A Jesus lhe interessa saber se abrimos o coração para acolhê-lo. Ele quer ser significativo para nós, e não apenas mais um em nosso horizonte. Ele não descarta ninguém, mas convida a partilhar. Não sacrifica ninguém, a não ser a si mesmo.
Jesus é o único mediador entre Deus e a humanidade, e sobre ele é que devemos focar a nossa vida.
Que bonito ver uma igreja que acende seus refletores sobre a pessoa e a mensagem de Jesus. 
Temos ainda muito caminho a percorrer, para que brilhe sempre mais o rosto de Cristo e não o nosso nas nossas palavras e gestos. 

O que dizem os outros que eu sou? E vocês, o que dizem?

A fé não avança pelo que ouvi dizer, mas pelo que eu digo e vivo.


0 comentários:

Postar um comentário