Os 7 jovens dormentes de Éfeso...


Você conhece a história dos 7 jovens dormentes de Éfeso?

Os Sete Jovens de Éfeso: Maximiliano, Iamblico, Martiniano, João, Dionísio, Exacustodiano (Constantino) e Antônio viveram no III século, e foram canonizados pela Igreja Ortodoxa. São Maximiliano era filho do Administrador da cidade de Éfeso e os outros seis jovens eram filhos de ilustres cidadãos dessa idade. Os jovens eram amigos desde a infância e cumpriam o serviço militar juntos.

Quando o Imperador Décio (249-251) chega em Éfeso ordena que todos os cidadãos ofereçam sacrifícios aos deuses pagãos. A tortura como a morte esperavam aqueles que o desobedecessem. Diante do Imperador, os jovens confessaram sua fé em Cristo.

Seus cintos militares e insígnias foram rapidamente tirados. O Imperador Décio os libertou, esperando que mudassem de ideia. Os jovens fugiram da cidade e se esconderam numa caverna.

O mais novo dentre eles, vestido como um mendigo, se dirigiu à cidade para comprar pão. Ele ouviu que o Imperador estava à procura deles. 

Tomando conhecimento de que os jovens estavam escondidos, o Imperado ordena que a entrada da caverna fosse selada com pedras a fim de que os jovens perecessem de fome e sede. 

O Senhor conduziu os jovens a um sono miraculoso que durou aproximadamente dois séculos. Durante o reinado do Imperador Teodósio, o Jovem (408-450), o dono da terra onde a caverna se encontrava descobre a entrada e pede a seus trabalhadores que a abrissem. Eis o milagre: O Senhor havia guardado os jovens vivos, que despertaram de seu sono, sem saberem que mais de duzentos anos havia se passado. 

Preparados a receberem a tortura, os jovens pedem por mais uma vez que Santo Iamblico fosse comprar pão para eles na cidade. A caminho da cidade, o jovem se maravilha ao ver tantas cruzes nos portões. Ouvindo que o Nome de Jesus era falado livremente, ele começa a duvidar que estivesse se aproximando de sua própria cidade.

O povo e o bispo de Éfeso foram na entrada da caverna, vendo os jovens vivos, todos se alegram e perceberam naquele milagre o mistério da Ressurreição que alguns negavam. Dias depois, o próprio Imperador chegou a Éfeso e falou com os jovens na caverna. Em seguida, os  jovens deitaram-se e encostaram suas cabeças no chão, e adormeceram novamente, desta vez até a Ressurreição final.


0 comentários:

Postar um comentário