Suicídio: Tema tabu...


Todos sabemos que o suicídio acontece em todas as camadas sociais e etárias. Contudo, esses dados não são noticiados. Lembro de uma pequena cidade do interior de Minas Gerais que tinha um grande percentual de suicídios, e me aconselharam a não tocar nesse tema na minha pregação, pois poderia provocar novos atos suicidas nos seus habitantes. O suicídio é contagioso!
As estatísticas são graves e estarrecedoras:
  • A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, no mundo, é cometido um suicídio a cada 40 segundos;
  • São mais de 800 mil suicídios por ano em todo o mundo (dados de 2012);
  • O suicídio é a segunda principal causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos;
  • 32 brasileiros cometem suicídio a cada dia: taxa superior à das vítimas de aids e de câncer.
A Associação Brasileira de Estudos de Prevenção do Suicídio (ABEPS) e o Centro de Valorização da Vida (CVV), propõem três passos para prevenir: Risco, Ouvir, Conduzir ou seja: prestar atenção aos indícios de que alguém possa vir a se matar; ouvi-lo sem julgamentos e conduzi-lo às ajudas competentes e profissionais (médico, psiquiatra. psicólogo...).
Lembro-me de um jovem que me perguntou sobre o pensamento da igreja em relação aos suicidas... Ele mesmo estava propenso a fazer essa loucura. Falar sobre o sentido e experimentado já é um grande passo.

Causas? Diversas, e todas convergem num presente mofado, e enfadonho.
A dor causada por um suicídio é silenciada na vida das pessoas e ocultada na história das famílias. O processo do luto por um suicídio é bem mais difícil, justamente pelos sentimentos que levanta e pelo constrangimento social que esse tipo de morte desperta.

Não aprovou o suicídio, mas não condeno a quem o faz...

Você gostaria de dizer algo a mais sobre isso? 

0 comentários:

Postar um comentário