Santos anjos do Senhor...


A respeito dos anjos, São Gregório Magno dizia: A palavra ‘anjo’ se refere a uma função, não a uma natureza. Na verdade, aqueles santos espíritos da pátria celeste são sempre espíritos, mas nem sempre podem ser chamados de anjos. São anjos somente quando exercem a função de mensageiros (…) E os que transmitem mensagens de maior transcendência chamam-se arcanjos.
A palavra “anjo” provém do grego “angelos”, que significa “mensageiro”. No termo “arcanjo”, o prefixo “arc” acrescenta o sentido de “maior”, “principal”, assim como “arcebispo” em comparação com “bispo”. Os anjos são, pois, mensageiros de Deus.
Na Bíbliao livro de Tobias (12,15) nos fala de São Rafael como “um dos sete anjos que estão diante da glória do Senhor e têm acesso à sua presença”.
O livro do Apocalipse (8,2) acrescenta: Vi os sete anjos que estavam diante de Deus e eles receberam sete trombetas”.
No entanto, a Bíblia nos diz o nome de apenas três dos arcanjos: Miguel, Rafael e Gabriel. Alguns textos apócrifos mencionam outros quatro, mas a Igreja reconhece apenas os que constam na Bíblia.
Gabriel: “Força de Deus”. O Arcanjo São Gabriel aparece no Antigo Testamento e também nos Evangelhos, quando faz o anúncio a Zacarias de que vai nascer o seu filho João Batista (cf. Lc 1,11-20) e, principalmente, quando anuncia à Santíssima Virgem Maria que ela será a Mãe de Jesus (cf. Lc 1,26-38).
Gabriel costuma ser representado na arte cristã com um ramo de açucena, por ter sido encarregado da Anunciação a Nossa Senhora a respeito da vinda do Filho de Deus. Ele é o padroeiro dos comunicadores e das comunicações sociais.
Rafael: “Deus cura”. O Arcanjo São Rafael é citado no livro de Tobias, a quem Deus o envia para acompanhá-lo durante a viagem em que se casa com Sara.
Por ter instruído Tobias sobre como recuperar a vista do seu pai, São Rafael é invocado na luta contra doenças, e pedindo proteção nas viagens.
Miguel: “Quem é como Deus?” Segundo a tradição, quando o anjo Lúcifer se rebelou contra Deus e se desterrou para sempre do Céu, tornando-se diabo, o Arcanjo São Miguel clamou fortemente em defesa do Criador: “Quem é como Deus? É justamente desta expressão em hebraico, “Micha-El”, que vem o seu nome. Em português, o nome acabou se transformando em Miguel. 

A tradição sempre recorre a ele pedindo a proteção e libertação dos ataques do diabo. E costuma ser representado como guerreiro de espada em riste, esmagando com o calcanhar a cabeça do demônio.

Sao Pedro Fabro, do primeiro grupo dos jesuítas, tinha uma grande devoção ao anjo da guarda.


0 comentários:

Postar um comentário