Seis propostas do Sínodo da Amazônia...



Após três semanas de intenso trabalho, os 185 Padres sinodais propõem ao Papa a ordenação sacerdotal de homens casados, e a criação do diaconato feminino e o ministério de “coordenadora da comunidade. 

1. Ordenação de homens casados ​​em áreas remotas da Amazônia. Homens da própria comunidade, e que tenham um diaconato frutífero, com uma família legitimamente constituída e estável, para sustentar a vida da comunidade cristã por meio da pregação da Palavra e da celebração dos sacramentos. Esta proposta recebeu 128 votos a favor e 41 contra.

2. Sim ao diaconato feminino e ao ministério de “coordenadora da comunidade”. 

3. Voz e voto para os leigos. Necessidade de fortalecer e expandir os espaços para a participação dos leigos, “seja em consulta ou na tomada de decisões, na vida e na missão de a Igreja”. "Lideranças rotativas", para evitar personalismos.

4. Um novo pecado. Incluir "pecado ecológico" como uma ação ou omissão contra Deus, contra outros, a comunidade e o meio ambiente; se manifesta em atos e hábitos de poluição e destruição da harmonia do meio ambiente, e quebra de redes de solidariedade entre criaturas e contra a virtude da justiça.

5. Ecologia integral: única maneira possível de viver. No Documento final, os Padres sinodais também apontam que a ecologia integral "não é mais um caminho que a Igreja pode escolher para o futuro neste território", mas "o único caminho possível", uma vez que não há outro caminho viável para salvar a humanidade. 

6. Rejeição da evangelização colonialista e um novo rito amazônico. A Igreja tem a oportunidade histórica de se diferenciar das novas potências colonizadoras para poder exercer sua atividade profética com transparência e na própria cultura desses povos. 

Agora, depende de cada um de nós implementar estes valores...

0 comentários:

Postar um comentário