Trem de pouso... (cf. Silvonei José)


Há tragédias que cortam o coração... 

Aconteceu dias atrás com uma criança da Costa do Marfim, 10 anos, e que morreu congelado na barriga de um avião, onde se escondeu para chegar à França. A ideia do menino era: a Europa está longe, mas um avião pode encurtar a distância e me levar para além da miséria... 

Um avião forneceu o sonho de poder conquistar a segurança que não tinha em casa. Vestido com roupas leves, o menino aproximou-se de um Boeing 777 da Air France, e que partia para Paris; aconchegou-se no trem de pouso da aeronave como se fosse o regaço da sua mãe, e esperou o melhor, mas vieram o som ensurdecedor dos motores do avião decolando... Seu coração pequenino ficou sobre-saltado!

O Boeing, em pouco tempo, subiu para uma altitude de 10.000 metros, e a temperatura cai para -50°C. O menino sozinho começa a sentir a falta do oxigênio, o frio gelado, a febre, o suor, as convulsões e os desmaios... Os sonhos infantis foram envoltos espantosamente pelo frio, a solidão e a escuridão. Depois, seu corpo pequeno, sem vida e gelado chegara ao seu destino: Paris... E a notificação oficial da companhia aérea: passageiro irregular na aeronave...

O drama deste menino sem nome, mexe comigo. Quantos fogem de situações desumanas e não encontram nem acolhida nem abrigo quando chegam ao seu destino...

 O trem de pouso é pouco demais para quem começava a viver!


0 comentários:

Postar um comentário