TRINDADE SANTA: Deus é o amante, o amado e o amor...

Deus amou tanto o mundo, que entregou seu Filho único... (Jo 3, 16)

Um dia especial para glorificar a Trindade Santa, para contemplar sua beleza, bondade e amor... A Trindade não é uma simples doutrina a ser acolhida, ou uma verdade a ser pensada, mas uma Presença a ser vivida, com espanto e admiração. A Trindade de Deus não é uma experiência reservada apenas a uns poucos e privilegiados místicos, nem tampouco um complexo dogma teológico que só os especialistas, através de suas especulações racionais, conseguem se aproximar. É verdade que o dogma da Trindade é o mais importante de nossa fé. Nada do que podemos definir, pensar ou dizer sobre a Trindade é adequado a seu Ser mais íntimo. 

O mais urgente neste momento para o cristianismo é a experiência pessoal de um encontro vivo com Deus, perfeita comunidade. Não se trata de demonstrar a existência da luz, mas de abrir os olhos para ver. Calar sobre Deus, é sempre mais exato que falar. O decisivo é viver o Mistério da Trindade a partir da adoração e da partilha fraterna. O dogma da Trindade nos liberta do deus poder e nos lança nos braços do Deus Amor

O mistério de Deus Uno Trino é fruto da experiência de revelação progressiva na história da Salvação, culminando na revelação que Jesus nos fez. Deus não é um ser isolado, distante da Criação, solitário. É um Deus comunitário, família e fraternidade... O auge de toda a revelação bíblica é: Deus é Amor, vida compartilhada, amizade prazerosa, diálogo, entrega mútua, abraço, comunhão de pessoas. O amor trinitário de Deus é amor que se expande e se faz presente em todas as criaturas. O Amor nunca é solidão, mas comunhão e diálogo...

Em Deus o Amor não é uma qualidade, mas sua essência. Se Deus deixasse de amar um só instante, deixaria de ser Deus. O movimento que parte do Pai, passa pelo Filho e se consuma no Espírito é um movimento de Amor sem fim. 

Nesse sentido, “saborear o mistério da Trindade” nos sensibiliza e nos capacita para nos aproximar do nosso mundo, com uma visão mais contemplativa. O “subir” até Deus passa pelo “descer” até às profundezas da humanidade.

Precisamos retornar às palavras de Jesus, que ora ao Pai por seus discípulos: “Não te peço que os tires do mundo, mas que os defendas do maligno” (Jo 17,15). Ser presença diferenciada e inspiradora no mundo globalizado

O ser humano é o caminho para Deus, e o ponto de encontro está no mundo, no campo da cultura, das relações e do diálogo inter-religioso, recriando um novo tipo de humanismo. Precisamos recuperar a prática do ser-para-os-outros, e a autoridade como serviço, solidariedade, compaixão,  partilha, perdão, gratuidade ecompromisso...

Fomos criados à imagem do Deus Trindade, e carregamos em nosso interior sua “faísca amorosa”. E o melhor caminho para nos aproximar do mistério do Deus Trindade não são os tratados teológicos que falam dele, mas as experiências amorosas que compartilhamos na vida

Só encontramos o Deus Trino com o coração, e só os corações solidários adoram o Deus verdadeiro.

0 comentários:

Postar um comentário