SOBRE A FELICIDADE... (cf. Teilhard de Chardin SJ)



 Todo ser humano anseia essencialmente por ser feliz. Mas, essa tarefa não é fácil. Por sermos seres pensantes, refletimos e decidimos, e por isso percebemos o futuro como apenas uma possibilidade,  lindando com a confusão e a dispersão. Só os animais não têm essa tentação, pois são visceralmente condicionados e definidos.

Mas, a felicidade humana existe? Ela é possível ou depende de uma apreciação pessoal diferenciada e que não depende apenas de nós?

Quais as atitudes fundamentais tomadas perante a vida? Imaginemos um grupo que decidiu escalar uma montanha. Aos poucos, encontramos três tipos de pessoas no grupo:
1. Os cansados ou pessimistas. A vida não tem sentido?... Os relacionamentos interpessoais são complexos e desgastantes... Este desistem do caminho logo que começaram...
2. Os bom-vivants. Isso é bom para mim? É o que eu quero? O hedonismo pagão de Epicuro, sempre atualizado, tomas as decisões mais importantes. O prazer pessoal é sua regra de ouro, e não admite excepções. Se a caminhada é por momentos fastidiosa e entediante, logo param e mudam de objetivo. É o modo de viver deles.
3. Os entusiastas, movidos por um ideal. O ideal não está só no fim, mas também nos meios que permitem alcançá-lo. Descobrem que: Há mais felicidade em dar do que em receber... A felicidade é consequência da própria doação.

Olhando o que existe, vemos que há dois movimentos contrários: um de desagregação e outro de agregação ou união. Olhando a evolução existente caminhamos, queiramos ou não, para maior liberdade, sensibilidade e junção. A felicidade é um efeito do crescimento.

Cultivar-se, organizar-se, unificar-se (ideias, sentimentos e conduta) para assim unir-se aos outros que fazem um trabalho semelhante. Formamos um só corpo: a humanidade. Descobrem que tudo está interligado.  

A humanidade do amanhã, mais consciente e potente do que a nossa, se unirá com todas as diversidades para SER mais, AMAR melhor e assim ADORAR, três graus superposto de felicidade. Enfim, a melhor maneira de alcançar o que sonhamos é fazer do melhor modo possível, e junto com outros, o que está ao nosso alcance. 

A coisa mais importante na vida é encontrar-se a si próprio, reagir contra o egoísmo que nos fecha sobre nós mesmos e fazer de maneira gozosa a menor das coisas da vida

A felicidade pode estar presente na nossas caminhada!



0 comentários:

Postar um comentário