O Papa Francisco no Salão Oval da Casa Branca …

 



Joe Biden é o segundo mandatário católico dos Estados Unidos, depois de John Fitzgerald Kennedy, e chegando à Casa Branca colocou em destaque uma fotografia do Papa, numa mesa atrás do seu escritório. 


No dia da "Inauguration Day", em quanto o presidente Biden participava de uma missa na catedral de Washington, o presidente do episcopado norte americano difundiu uma mensagem de bons augúrios a Biden, que segundo alguns parecia mais uma declaração de guerra. O Arcebispo de Los Ángeles, José Gómez, do Opus Dei, e presidente da Conferência Episcopal, surpreendeu com um ataque inusitado pela questão do aborto e outras questões morais no país. Alguns mais argutos diziam: os jesuítas apoiam Biden e o Opus Dei Trump.


Biden professa um catolicismo humanista e defende a justiça social, econômica e racial; é contrario à pena de morte, que pretende abolir a nível Federal e nomeou para seu governo pessoas capazes, sem discriminação de raça, religião ou gênero. 

 

A carta do Arcebispo Gómez – apoiada pela ala mais conservadora do país – caiu como uma bomba numa igreja muito dividida e polarizada. Outro Arcebispo, o de Chicago e cardeal, Blase Cupich - próximo do Papa-, disse que a tal carta foi "desacertada", e bem contraria ao cálido augúrio enviado pelo Papa Francisco, esse mesmo dia.


Nos próximos meses, o presidente Biden será recebido com toda pompa no Vaticano.



 

0 comentários:

Postar um comentário