Rio +20: Oração para o dia 20/JUN

VER...
A. Contexto como preparação da jornada: A realidade atual. O mundo em que vivemos não é o paraíso que desejamos. A maior parte dos problemas atuais do meio ambiente foram gerados pela ação humana:
1. Pressão contínua sobre os recursos naturais.
2. Degradação crescente do meio ambiente devido a sistemas agrícolas inadequados e a exploração insustentável dos recursos naturais.
3. Grandes diferenças de bens entre ricos e pobres.
4. Ausência de acesso a serviços básicos, como educação, saúde, etc.
5. Urbanização rápida, que gera um grande número de pessoas pobres e sem teto nas cidades.
6. Consumismo crescente dentro de um paradigma econômico que não paga os custos da deterioração ecológica... e outros.

A crise ecológica ameaça o sustento vital de todos os povos, especialmente dos mais pobres e vulneráveis: esses vivem em contextos cada vez mais frágeis e caracterizados sobretudo pelos riscos naturais, as condições climáticas em transformação, a contaminação, o desmatamento, a desertificação e o esgotamento do solo... O vínculo entre o meio ambiente e a pobreza é indissolúvel, e esse é nosso desafio.
 
B. Frase-chave: “A natureza é expressão de um projeto de amor e verdade. Ela nos precede e nos foi dada por Deus como âmbito da vida e nos fala do Criador e do seu amor à humanidade” (Cáritas In Veritate No. 48).

C. Texto base para a reflexão pastoral: “O tema do desenvolvimento está também muito ligado aos deveres que nascem da relação entre o homem e o ambiente natural, presente de Deus para todos, e seu uso representa uma responsabilidade para com os pobres, as gerações futuras e toda a humanidade... A natureza está à nossa disposição não como um monte de resíduos espalhados ao acaso, mas como um presente do Criador que desenhou suas estruturas intrínsecas para que o homem descubra as orientações a serem seguidas para «protegê-la e cultiva-la» (cf. Gn 2,15). Para isso, os projetos para um desenvolvimento integral não podem ignorar as futuras gerações, mas devem caracterizar-se pela solidariedade e a justiça intergeracional. O modo que o homem trata o ambiente influi na maneira como trata a si mesmo, e vice-versa. Isso exige que a sociedade atual revise seriamente seu estilo de vida. É necessária uma mudança efetiva de mentalidade que nos leve a adotar novos estilos de vida.” (CIV No. 48 e 51).

 D. Guia de reflexão:
- Que expressões dessa violação da criação podemos perceber em nosso contexto e que impactos têm na população mais vulnerável?
- Como essa situação nos afeta diretamente?
- O que mais nos machuca e comove nesta realidade?

Oração final: Abençoado seja meu Senhor, pelo irmão fogo, que ilumina o sol, e é forte, belo e alegre. Bendito seja meu Senhor, pela irmã água, preciosa em sua pureza, que é útil, casta, humilde. Não provem a morte da condenação! Sirvam com ternura e coração humilde. Agradeçam suas dádivas, cantem sua criação todas as criaturas! Bendito seja meu Senhor. Amém. (São Francisco de Assis).

NB. Novas orações: dias 21 e 22/JUN

0 comentários:

Postar um comentário