RIO+20: Oração para o dia 21/JUN

JULGAR
A. Contexto como preparação da jornada: A proposta de uma economia verde e seus graves perigos e riscos.

Uma das premissas básicas para Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a RIO+20, é o conceito de “Economia Verde” – EV. A maioria das reflexões, contribuições e eixos de trabalho deste encontro internacional giram ao redor deste conceito. Sem dúvida, devemos confrontar a concepção deste conceito de EV em sua construção sustentada meramente nas leis de mercado que perpetuam e reproduzem o mesmo modelo de desenvolvimento que hoje provou suas claras limitações e gerou uma maior desigualdade de pobreza e injustiça na distribuição dos recursos e bens.

Nossa perspectiva, como religiosos, deve sustentar-se nos planejamentos da Doutrina Social da Igreja, a qual fala da busca por outro paradigma. É igualmente importante antecipar o que está se percebendo nos espaços de discussão sobre a RIO+20; fala-se da EV como um novo paradigma, mas ela se insere na visão de livre mercado, que provou ser um mecanismo inútil para reduzir a pobreza e as desigualdades, já que sua razão de ser é criar utilidades sem importar-se com os impactos sociais. 

B. Frase-chave: “Não há nada verdadeiramente humano que não encontre ressonância no coração de Deus” (Gaudium Et Spes, 1)

C. Texto base para a reflexão pastoral: A natureza, especialmente em nossa época, está tão integrada com a dinâmica social e cultural que praticamente já não se constitui uma variável independente. A apropriação dos recursos, especialmente da água, pode provocar graves conflitos entre as populações afetadas. Diante do inevitável aumento da interdependência mundial, e também em face de uma recessão de alcance global, sente-se a urgência de reformar tanto a Organização das Nações Unidas como a arquitetura econômica e financeira internacional, para que se dê uma concretude real ao conceito de família de nações.

Sente-se, pois, a urgência de encontrar formas inovadoras para colocar em prática o princípio de responsabilidade de proteger e dar também uma voz eficaz nas decisões comuns às nações mais pobres. Isso se mostra necessário em especial com vistas a um ordenamento político jurídico e econômico que aumente e oriente a colaboração internacional para o desenvolvimento solidário de todos os povos... para prevenir a deterioração da situação financeira atual e consequentes desequilíbrios ainda maiores para garantir a proteção do ambiente (Cáritas in Veritate No. 57 y 61).

O absolutismo da técnica tende a produzir uma incapacidade de perceber tudo aquilo que não se explica com a pura matéria. Sem dúvida, todos os homens têm experiência de tantos aspectos imateriais e espirituais em sua vida... Todo conhecimento, desde o mais simples, é sempre um pequeno prodígio, porque nunca se explica completamente com todos os elementos materiais que empregamos. Em toda verdade há sempre algo mais do que se poderia esperar, e no amor que recebemos há sempre algo que nos surpreende (Cáritas In Veritate No. 77).

D. Guia de reflexão:
- Quais são as causas mais profundas que estão provocando essa situação?
- Como contribuímos com nosso estilo de vida, decisões e omissões para que esta situação esteja assim?
- Que expressões significativas de defesa do meio ambiente e promoção ambiental vemos ao nosso redor? O que mais nos chama a atenção? O que podemos aprender com elas?
- O conceito de Economia Verde é realmente um novo paradigma? Quais suas limitações e perigos? Que alternativas podemos colocar sobre a mesa?

Oração final: E pela irmã terra, que é toda abençoada; a irmã mãe terra que dá em toda ocasião as ervas e frutos e flores de cor, e nos sustenta e rege: bendito seja meu Senhor! Não provem a morte da condenação! Sirvam com ternura e coração humilde. Agradeçam suas dádivas, cantem sua criação. Todas as criaturas, bendito seja meu Senhor. Amém. (São Francisco de Assis).

NB. Amanhã último dia de oração pelo Rio +20!

0 comentários:

Postar um comentário