Martinho Lutero (1483-1546)...


A maioria católica desconhece Lutero. Outros poucos, conseguem situá-lo no século XVI e identifica-lo com a Reforma Protestante. Conheça, pois, este grande reformador...

Lutero defendeu a liberdade de consciência e buscou educar os fiéis na fé em Jesus, mais do que na dos costumes sociais que se vivia. Ele deixou carimbada na língua alemã a sua espiritualidade. A sua tradução da Sagrada Escritura para o alemão é uma obra magnífica, e que foi colocada nas mãos do povo. 

Lutero também traduziu a missa e escreveu dezenas de hinos religiosos e piedosos. Este homem passou a vida se perguntando: “Como posso encontrar um Deus misericordioso?” E o seu esforço era preenchido com dias de oração, jejum, leitura, confissão, ensino e pregação.

Tudo começou nas portas de ferro da Igreja de Todos os Santos, em Wittenberg, onde Lutero postou suas 95 Teses, 31/OUT/1517, denunciando a venda de indulgências e outras práticas corruptas dos bispos feudais.

Naquela época a Igreja não era propriamente um modelo a imitar: havia corrupção e mundanidade, apego ao dinheiro e ao poder... (Papa Francisco).

No Convento dos agostinianos, onde Lutero viveu como monge católico, por quase 10 anos, e depois como casado, em 1525, com a ex-freira cisterciense Katharina von Bora, criou os seus seis filhos, além de seis sobrinhos e sobrinhas. Alguns dizem que Katharina fazia todas as noites um jantar para até 40 convidados.

As cidadezinhas de Halle e Eisleben também estão no périplo luterano. Na primeira, nasceu e foi batizado, em 1685, o compositor George F. Handel. Luteranos e católicos cantam seus oratórios até o dia de hoje. Dentro da Igreja de Santa Maria, em Halle, há uma máscara mortuária de Lutero, e também a sua bíblia pessoal.

Eisleben é o local do nascimento e da morte de Lutero, pois para resolver uma disputa entre irmãos, Lutero voltou para Eisleben, em 1546, quando tinha 62 anos e esteva bastante doente. Mesmo assim, celebrou sua última missa, e pregou seus quatro últimos sermões na Igreja de Santo André, onde seu corpo foi velado por dois dias, após morrer de um ataque cardíaco. Suas últimas palavras escritas: “Nós somos mendigos, essa é a verdade”.

Lutero professou Cristo como o seu Salvador e Senhor antes de respirar pela última vez. Milhares de pessoas em luto saíram pelas ruas de Halle e outras cidades ao longo do caminho enquanto o corpo de Lutero era levado de volta a Wittenberg, para o enterro na Igreja de Todos os Santos.

E Erfurt e Veste Coburg? Lutero viveu como um católico e morreu como católico, disse o Rev. David Elseroad, pastor da Igreja Luterana da Trindade, Nova York. Lutero não quis uma revolução; ele quis uma reforma...

O pai de Lutero queria que o seu inteligente filho Martinho estudasse Direito, para ajudar economicamente mais à família. Em meados de 1505, voltando para a universidade, Lutero caiu no chão pela força de um raio. Aterrorizado, invocou Santa Ana, e prometeu que se tornaria monge. E assim o fez.

Em pouco tempo, Lutero cumpriu a promessa: se despojou dos seus bens e bateu à porta dos frades agostinianos. Uma decisão que seu pai detestou, mas que levou Lutero a ser ordenado pouco depois, em 1507.

Fortaleza de Coburg, com 900 anos de idade, acolheu Lutero quando precisou se refugiar daqueles que o ameaçaram com a morte. 

Ao leste de Erfurt e ao norte de Coburg está a cidade de Eisenach, onde Lutero passou os anos de estudante secundarista. Além do latim, ele estudou retórica, poesia e música e ganhava uns trocados ao cantar no coro dos meninos, que cantarolava de casa em casa pedindo apenas um pão para comer. Este homem cantavam e compunha hinos religiosos profundos. 

A senhora Ursula Cotta gostava de ouvir o jovem Martinho cantar, e lhe ofereceu moradia durante três dos quatro anos em que ficou Eisenach, como estudante, e o contratou para cuidar de seu filho pequeno.

O tempo de Lutero em Wartburg foi ótimo para ler, estudar e escrever. Aqui, ele também experimentou depressão, melancolia e doenças digestivas por causa dos alimentos do castelo, tão diferentes das refeições simples dos agostinianos.

Embora os tratados de Lutero fossem edificantes e inspiradores, eles também eram mordazes e agressivos contra o papado que o instigava, e que ele chamava de “uma instituição do diabo”. Os judeus também sofreram muito com os textos de Lutero.

Em Mainz corre o rio Reno. Na época de Lutero, J. Gutenberg, ourives de Mainz, inventou a prensa escrita, ajudando a difundir os tratados da Reforma com uma intensidade missionária. Das 180 Bíblias de Gutenberg, restam apenas 49. A Reforma não teria sucesso sem a imprensa de Gutenberg! 

Quando um casamento acaba a culpa não é só de um lado. Não julguemos, pois, este homem pela sua fraqueza, mas pela grandeza da sua fé.

Dia 31/OUT/2016 o Papa Francisco se encontrará na Suécia com os bispos luteranos. Imagino que será um encontro fraterno por muitos saudosamente esperado!

Um comentário:

  1. SÓ FALTOU falar das heresias que vieram do cisma luterano e das guerras cuidadas por essa figura diabólica. Já estou fazendo hagiografia desse heresiarca.

    Heitor

    ResponderExcluir