Perfil do bispo segundo o Papa Francisco...


A Carta de São Paulo a Tito guiou a reflexão do Papa Francisco para traçar o perfil do bispo (12/11/2018)Quando se buscam informações para a escolha de um bispo precisamos seguir os critérios sugeridos por Paulo na carta a Tito: «sejam administradores de Deus, irrepreensíveis, servidores humildes», e pouco importa se «são hábeis administradores ou simpáticos». Precisamos pôr ordem na própria vida e na vida da Igreja. 

A Igreja não nasceu completamente ordenada.  Fervor e desordem são duas realidades que sempre nos rodeiam: riqueza dos dons do Espírito e a confusão que criamos. Isso não nos deve assustar.

A Igreja não nasceu completamente ordenada, certinha, sem problemas nem confusões. Sempre foi assim. E a confusão, a desordem, deve ser organizada, porque as coisas devem ser colocadas no seu lugar. Pensemos, por exemplo, no primeiro Concílio de Jerusalém: havia luta entre judaizantes e não judaizantes... Fizeram o concílio e colocam as coisas no seu lugar.

O bispo é um administrador de Deus e não do poder de Deus. Paulo deixa Tito em Creta, para colocar ordem na comunidade, recordando-lhe que a “primeira coisa é a fé”. Ao mesmo tempo, oferece critérios e instruções sobre a figura do bispo como “administrador de Deus, não dos bens ou do poder de Deus. Sempre deve corrigir a si mesmo e perguntar-se: “Sou administrador de Deus ou sou um negociante?”. O bispo é administrador de Deus. Deve ser irrepreensível: esta palavra é a mesma que Deus pediu a Abraão: “Anda na minha presença e sê perfeito”. É a palavra fundamental, de um líder.

O Papa recordou ainda como deve ser o bispo: Nem arrogante nem soberbo, nem irascível nem dado ao vinhonem cobiçoso nem apegado ao dinheiroSeria uma calamidade para a Igreja um bispo desse tipo, mesmo que tivesse um só desses defeitos. As peculiaridades do servidor de Deus sãohospitaleiro, amante do bem, ponderado, justo, santo, dono de si, fiel à Palavra que lhe foi ensinada.

Este é o perfil do bispo. E quando se fazem questionamento para a eleição de novos bispos, é importante ter em conta essas perguntas para saber se é possível alguém ser ordenado episcopus. O bispo deve ser humilde, manso, servidor, não príncipe. Esta é a palavra de Deus.  Esta não é uma novidade pós-conciliar. Isso é desde o início, quando a Igreja percebeu que deveria colocar ordem em si mesma com bispos desse gênero.

Não haverá ordem na Igreja sem esta atitude evangélica dos bispos. O que conta diante de Deus não é ser simpático, pregar o bem, mas ser humilde e colocar-se a serviço

Sejam assim, sejamos assim, concluiu o Papa, como Paulo nos pede ser.


0 comentários:

Postar um comentário