Profeta Amós: a luta contra a injustiça social...




Amós se define como pessoa da zona rural, pastor de ovelhas e cabras, e cuidador de sicômoros, e foi retirado desse seu pequeno mundo para proclamar a Palavra de Deus.

Provavelmente as composições mais antigas do livro deste profeta datam de meados do século VIII a.C., e o acento principal da sua mensagem é a crítica social e o anúncio do juízo iminente de Deus.

Amós é um profeta radical e paradigmáticoPalavras (Am 1-6) e Visões (Am 7-9).

As pragas e punições descritas em Am 4, lembram às de Moisés no Egito, incluindo ainda Sodoma e Gomorra. 

Na relação do ser humano com Deus, cada ação que não melhora a relação, a piora, mas jamais a deixa igual. Se não se aceita o convite à conversão, então se recusa. É o que acontecia com o povo. O povo não somente não ouviu as palavras do profeta, mas decidiu expulsá-lo do Reino do Norte, e enviá-lo para sua terra: Judá, Reino do Sul.

Aos olhos da elite, Amós é um “conspirador”, interessado em um “golpe de estado”. Para Javé e o povo empobrecido ele é um grande profeta.
  
O profeta chama de “vacas de Basã”, às mulheres adinheiradas e opressoras, ou a seus maridos efeminados e gordos.

Na profecia de Amós há uma crítica contundente aos agentes de exploração e opressão dos camponeses empobrecidos sob o governo expansionista do rei Jeroboão II. Em outros termos, o profeta Amós critica pessoas corruptas, e o sistema gerador desse tipo de pessoas. Não somente as mazelas pessoais estão na mira desse “camponês” que entrou para a história como um dos grandes profetas. Amós tem consciência de que o problema fundamental da injustiça reinante na sociedade não é fruto somente de fraquezas e ambiguidades pessoais, mas tem como causa motriz estruturas sócio-econômico-político-cultural e religiosas que engrenam uma máquina de moer pessoas. 

Além das denúncias sociais, a profecia de Amós destaca o anúncio de um juízo iminente de Deus na história do seu povo. O tão sonhado “dia de Javé” (Am 5,18-20) não será mais de glória, mas será um “dia mau” sobre os opressores de Israel, suas instituições e seus agentes.

O profeta rural Amós denuncia duramente as instituições religiosas que estão justificando o processo de extorsão de tributos da população camponesa. 

Não precisamos explicitar a atualidade da profecia de Amós para os tempos de hoje. Que cada um/a faça as atualizações necessárias...






0 comentários:

Postar um comentário