A flecha envenenada...

Gautama Buda contou a “parábola da flecha envenenada” a um discípulo que andava muito distraído com coisas secundárias...
“Houve uma vez um homem que foi ferido por uma flecha envenenada... Sua família e amigos queriam chamar um médico, mas o ferido recusou, dizendo que antes queria saber o nome do homem que o feriu, a casta a qual ele pertencia e seu lugar de origem...
Eu também queria saber se aquele homem era alto, forte, se tinha pele clara ou escura... e também gostaria de saber que tipo de arco com o qual ele havia atirado, se era feito de bambu ou cânhamo... E se a pluma da flecha era de um falcão, uma águia ou de um faisão... Queria todo tipo de informação, enquanto isso o homem morreu sem saber as respostas.
Ao ler a parábola, a primeira ideia que vem à mente é que a atitude do homem ferido é absurda e tola. No entanto, Buda está nos dizendo que todos nós nos comportamos da mesma maneira sem perceber.
De certa forma, todos estamos feridos com uma flecha envenenada e, mais cedo ou mais tarde, vamos morrer. No entanto, vivemos sem estar conscientes dessa nossa mortalidade, e damos excessiva importância a coisas secundárias e banais que impedem de viver bem o presente...
E você o que pensa sobre isso?


0 comentários:

Postar um comentário