Dia 9/SET. São Pedro Claver: servo dos escravos...


Pedro Claver (1580-1654) dedicou sua vida aos escravos que chegavam à Cartagena/Colômbia, vindos da África. Ao longo de 35 anos, Pedro Claver demonstrou uma compaixão sem limites pelos abandonados, pondo em prática o ditado de Alonso Rodriguez: "Buscai a Deus nos homens e sirva-os como sua imagem".

O primeiro encontro de Claver com os jesuítas foi em Barcelona, como estudante universitário. Ele entrou na Companhia de Jesus em 1602, e estudou filosofia na ilha de Mallorca, no colégio de Montesión, onde o santoIrmão Alonso Rodríguez, era o porteiro. O santo Irmão acendeu no jovem jesuíta o desejo de ser missionário no Novo Mundo. Pedro Claver se ofereceu para ir às missões, e o provincial o enviou à Colômbia em 1610. Antes de terminar seus estudos teológicos em Bogotá, Claver foi para Cartagena, na costa do Caribe, onde foi ordenado em 1616 e onde passaria o resto de sua vida, servindo os escravos que vinham da África.

Cartagena era um dos dois portos espanhóis autorizados a receber escravos; na época de Pedro Claver, estima-se que cerca de 10.000 passavam pelo porto. Chegavam em condições horríveis após uma viagem muito longa. Claver esperava-os no cais do porto levando alimentos que tinha conseguido como esmolas. Acompanhado de ex-escravos que atuavam como intérpretes, ele subia nos navios e cumprimentava os que encontrava no convés antes de descer ao porão para cuidar dos doentes. Limpava feridas, aplicava pomadas e curativos e falava de Deus.

Os escravos ficavam poucos dias em Cartagena, por isso Pedro Claver agia com rapidez para prepará-los ao batismo. Deste modo batizou muitos escravos, embora a instrução fosse necessariamente limitada. Em 1650, Cartagena sofreu uma epidemia de peste, e Pedro Claver foi uma de suas vítimas, depois de ter atendido outros pacientes com a mesma doença.

0 comentários:

Postar um comentário